Interino na Presidência, Maia recebe manifestantes por cotas

Grupo do Educafro faz greve de fome junto ao Palácio do Planalto

26 mar 2012
12h23
atualizado às 12h53
Diogo Alcântara
Direto de Brasília

No comando da Presidência da República desde a noite de domingo, o presidente em exercício Marco Maia (PT-RS) recebeu na manhã desta segunda-feira um pequeno grupo de manifestantes no Palácio do Planalto que reivindica sistema de cota racial para vagas do programa Ciência Sem Fronteiras - programa de bolsas de estudo no exterior.

Envolvidos em correntes, integrantes do Educafro fazem greve de fome e reivindicam mais oportunidades para os negros na educação
Envolvidos em correntes, integrantes do Educafro fazem greve de fome e reivindicam mais oportunidades para os negros na educação
Foto: Antônio Cruz / Agência Brasil

Receber manifestantes é normalmente atribuição da Secretaria-Geral da Presidência. Não é comum que o chefe de Estado abra esse tipo de precedente para não favorecer nenhum grupo e nem usar tempo da agenda oficial recebendo movimentos sociais.

Sem agenda prevista para esta segunda-feira, Maia, abriu precedente para o grupo que se diz em greve de fome desde o início da manhã e que se acorrentou em frente ao Planalto. Além de cotas para o programa de bolsas, eles ainda defendem ações afirmativas com recorte racial para concursos públicos do Governo Federal.

"Consideramos o Ciência sem Fronteiras um programa elitista que está mantendo a situação de exclusão brasileira", disse Carlos Eduardo de Oliveira, que integra o Educafro. Eles ainda pedem a regulamentação do Estatuto da Igualdade Racial.

Como presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia é o segundo na linha sucessória presidencial. A presidente Dilma Rousseff embarcou ontem à noite para a Índia, onde participa de encontro dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), as principais nações emergentes. O vice-presidente Michel Temer (PMDB) também está no exterior. Ele representa o Brasil na 2ª Cúpula sobre Segurança Física e Nuclear na Coreia do Sul. Até o retorno de Temer, marcado para quarta-feira, o Planalto continuará sob o comando interino de Maia.

Com informações da Agência Brasil

.

Agência Brasil Agência Brasil
publicidade