Haddad nega que MEC irá alterar conteúdo de kit anti-homofobia

19 mai 2011
11h20
atualizado às 11h46

O ministro Fernando Haddad negou que o Ministério da Educação (MEC) tenha decidido alterar o conteúdo do kit de combate à homofobia que será distribuído nas escolas públicas de ensino médio. Ontem (18) ele se encontrou com parlamentares da bancada evangélica que são contra o material e assegurou que os deputados poderão manifestar sua opinião à comissão de publicação de materiais do ministério, mas que as sugestões poderão ou não ser acatadas.

"O material encomendado pelo MEC visa combater a violência contra homossexuais nas escolas públicas do país. A violência contra esse público é muito grande e a educação é um direito de todos os brasileiros, independentemente de cor, crença religiosa ou orientação sexual. Os estabelecimentos públicos têm que estar preparados para receber essas pessoas e apoiá-las no seu desenvolvimento", defendeu Haddad durante o programa de rádio Bom Dia, Ministro, produzido pela EBC Serviço s em parceria com a Secretaria de Comunicação Social da Presidência.

O kit anti-homofobia, como vem sendo chamado, foi elaborado por entidades de defesa dos direitos humanos e da população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais) a partir do diagnóstico de que falta material adequado e preparo dos professores para tratar do tema. O material é formado por cartazes, um livro com sugestão de atividades para o professor e três peças audiovisuais.

A previsão do ministério é que os kits cheguem às escolas no segundo semestre de 2011. O material é voltado para alunos do ensino médio - a partir dos 15 anos.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, fala durante o programa Bom Dia Ministro
O ministro da Educação, Fernando Haddad, fala durante o programa Bom Dia Ministro
Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil
Agência Brasil Agência Brasil

compartilhe

publicidade
publicidade