Governo de SP investirá cerca de 5 bi em tecnologia nas escolas

5 abr 2012
09h17

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo publicou na quarta-feira, 4 de março, no Diário Oficial do Estado o chamamento público para a realização de estudos técnicos voltados ao desenvolvimento do projeto Aula Interativa, que será implementado por meio de parceria público-privada (PPP). O resultado dos estudos subsidiará a elaboração do edital de licitação, que tem investimento estimado em R$ 5,5 bilhões, em um prazo de 10 anos. O valor final será definido na última etapa do processo. O cronograma atual prevê a assinatura do contrato no início de 2013.

O propósito do governo é aprimorar a prática pedagógica e potencializar a dinâmica em sala de aula a partir da utilização de recursos tecnológicos, como vídeos, áudios, objetos de aprendizagem e conteúdos que incentivem a participação, a curiosidade e a interatividade entre alunos e professores. Deverão ser beneficiados cerca de 3 milhões de estudantes e mais de 160 mil docentes das classes de ciclo II do Ensino Fundamental e de Ensino Médio.

De acordo com a secretaria, o valor engloba o desenvolvimento de conteúdos digitais interativos específicos para uso por professores e por alunos; formação de docentes; sistemas de gestão; e compra, instalação, manutenção e atualização tecnológica de equipamentos, como lousas digitais, projetores interativos, dispositivos móveis para uso pelos estudantes, rede sem fio, servidores e ferramentas de suporte.

"Além da elaboração de conteúdos de forma adequada às novas tecnologias e às necessidades do aprendizado de nossos alunos, o foco do projeto Aula Interativa está também na formação continuada de nossos professores, tendo como objetivo a melhoria da qualidade do ensino", afirmou Herman Voorwald, secretário da Educação do Estado de São Paulo, em nota publicada no site da secretaria.

"O mais relevante é que o projeto não se limita à aquisição de equipamentos. A prioridade está nos conteúdos e na formação dos docentes, que terão a tecnologia como apoio nos processos de ensino e aprendizagem", afirma Vera Lúcia Cabral Costa, coordenadora da Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Professores (EFAP) "Paulo Renato Costa Souza". A educadora ressalta ainda a abordagem global da iniciativa. "A empresa a ser contratada será responsável por toda a instalação, manutenção e atualização tecnológica dos equipamentos, bem como gestão, produção e renovação dos conteúdos e formação dos professores", aponta.Caberá à Secretaria da Educação coordenar todo o trabalho.

A ação é destinada às escolas e classes de Ensino Fundamental ciclo II (6º ao 9º ano) e de Ensino Médio da rede estadual e tem por objetivo contribuir para melhorar as condições de ensino e aprendizagem com o uso de tecnologias em sala de aula, integrando conteúdos digitais interativos, formação de docentes e equipamentos.

As empresas interessadas têm prazo de 10 dias corridos para se cadastrar. As instruções podem ser consultadas na edição de hoje do Diário Oficial ou no portal da Secretaria da Educação (www.educacao.sp.gov.br). Após o cadastramento, as instituições privadas terão no máximo 90 dias para apresentar as propostas.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade