FHC considera "razoável" aposentadoria de R$ 22 mil na USP

Ex-presidente, que participou hoje de debate pelos 80 anos da universidade, é professor aposentado da FFLCH desde 1968 e figura entre os mais de 29 mil servidores cujos vencimentos foram divulgados na internet há uma semana

24 nov 2014
20h22
atualizado às 20h25
  • separator
  • 0
  • comentários

O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso (PSDB) classificou como “razoável” a aposentadoria de R$ 22.150 que recebe mensalmente do orçamento da Universidade de São Paulo (USP). Professor emérito da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFCLH) da instituição, FHC figura entre os cerca de 29 mil professores e técnicos-administrativos, ativos e aposentados, que, desde o último dia 17, têm os vencimentos divulgados no site da universidade, no Portal da Transparência.

O salário do ex-presidente é um dos 1.972 que ganham acima do teto no Estado de São Paulo –ou seja, que ganham mais que o governador, Geraldo Alckmin (PSDB), cujo vencimento mensal é de R$ 20.662. O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a redução desses rendimentos a fim de que se adequem ao teto estadual.

Ex-presidente, Fernando Henrique Cardoso é professor aposentado da USP desde 1968
Ex-presidente, Fernando Henrique Cardoso é professor aposentado da USP desde 1968
Foto: Janaina Garcia / Terra

O ex-presidente participou hoje do encerramento do ciclo de debates “A USP e a Sociedade”, promovido no auditório do Conselho Universitário, no último mês, pelos 80 anos da USP, comemorados em janeiro de 2014. Ao lado do reitor, Marco Antonio Zago, do ex-reitor (1975-1979) José Goldemberg, do presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Celso Lafer e seu vice, o professor Eduardo Krieger, FHC foi um dos palestrantes do tema “A USP como geradora de conhecimento em padrão de excelência”, sobre a produção acadêmica da instituição.

Em entrevista após o evento, FHC afirmou que a disparidade entre o teto e o que alguns docentes e técnicos recebem “existe e é muito grande em função do passado, (em função de) de decisões judiciais”. “Mas foram as pessoas que ganharam na Justiça. Todo mundo reclama de salário, acha o seu é baixo”, comentou. E o dele, de aposentado, de mais de R$ 22 mil? “O meu da USP é razoável. Sou professor catedrático, não tenho salário de presidente, aposentadoria, acho razoável. Comparado com o que se ganha no setor privado, aí significa muito, porque a aposentadoria do INSS é muito baixa. Não é a USP que é alta, o outro [o do INSS] que é baixo", definiu.

Ao lado do reitor da USP (à direita, na foto), Marco Antônio Zago, FHC participou de palestra pelos 80 anos da universidade
Ao lado do reitor da USP (à direita, na foto), Marco Antônio Zago, FHC participou de palestra pelos 80 anos da universidade
Foto: Janaina Garcia / Terra

O ex-presidente se aposentou em 1968, à época com 37 anos, nos primeiros anos da ditadura militar. Além da USP, lecionou também em universidades de Stanford e Berkeley, nos Estados Unidos, de Santiago, no Chile, e de Cambridge, na Inglaterra, além da École des Hautes Études en Sciences Sociales, na França.

USP não teve acesso à decisão do STF, diz reitor

Questionado sobre a determinação do STF para redução dos quase 2 mil vencimentos, o reitor da USP afirmou não ter tido acesso ao acórdão da decisão.

Ano passado, a universidade recebeu do governo do Estado pouco mais de R$ 4 bilhões –valor que corresponde a praticamente 5% de todo o orçamento paulista. Atualmente, mais de 100% dos gastos mensais são direcionados a folha de pagamento de funcionários.

Veja também:

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade