PUBLICIDADE

Escola de SP faz sucesso com livros pendurados em muros

Escola Municipal Vargem Grande II disponibiliza livros para alunos e comunidade através do "Muroteca"; acervo é fruto de doações

15 out 2015 15h42
| atualizado às 15h45
ver comentários
Publicidade

A escola Municipal de Ensino Fundamental Vargem Grande II, localizada no extremo sul da cidade de São Paulo, disponibiliza livros para alunos e a comunidade através da "Muroteca". A ação consiste em vários exemplares pendurados em um painel na parte de fora da escola. Boa parte do acervo é fruto de doações.

Siga Terra Educação no Twitter

Siga Terra Notícias no Twitter

Os alunos também participam do projeto ‘Canto de Encanto’, que pretende incentivar e formar novos leitores
Os alunos também participam do projeto ‘Canto de Encanto’, que pretende incentivar e formar novos leitores
Foto: Eco Desenvolvimento

O projeto nasceu em 2014, quando professores e alunos tiveram a ideia de colocar uma bolsinha com um livro dentro dos ônibus que passam pelo bairro. O programa era intitulado "Ônibus Literário", e as pessoas podiam ler, levar para casa e depois devolver os exemplares. Porém, com o tempo, livros e sacolas não voltavam para o lugar, o que inviabilizou a continuidade do projeto.

Segundo a diretora da unidade de ensino, Maria Maura Moreira, os livros estão por toda parte. “Na hora da saída, tem aluno que pega um livro para ler enquanto espera o transporte escolar. Tem alguns que deixam até separado para terminar de ler depois”, explicou.

Dentro do projeto existe o "Canto de Encanto", que pretende incentivar e formar leitores, tendo a mediação de leitura para famílias do bairro como base. Durante a reunião de pais, é feita uma lista com os nomes de quem deve receber a turma de alunos acompanhados de um professor.

No último dia 2 de outubro, Elizabete Aparecida de Castro, mãe de Thiago, de 7 anos, recebeu a turma do projeto em sua residência. Elizabeth conta que, desde grávida, já lia para o filho, e o hábito continuou após o nascimento. “O Thiago só dormia no berço se eu contasse uma historinha. Se não tivesse livro, eu inventava”, contou.

Depois de formada a roda, é tocado um sino que indica a hora de começar a leitura. Quem comandou a ação dessa vez foi a pequena Suzanny, de 8 anos. Cada página lida tinha, na sequência, as ilustrações mostradas.

Durante a ação, cada participante lê um trecho do livro. Também são formadas duplas para a leitura. Ao final, o sino novamente é tocado e a atividade é encerrada. 

Colégio Estadual de Distrito de Cerro Azul vai fechar:
Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade