Plano busca garantir realização do Enem em caso de apagão

29 out 2012
19h37
atualizado às 19h40
  • separator
  • comentários

Às vésperas da realização da próxima edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse nesta segunda-feira que o governo tem um plano de contingência caso haja um apagão durante a aplicação da prova. O Enem está marcado para o próximo fim de semana. "É preocupação (o fornecimento de energia elétrica) e até queda de árvore, possibilidade de chuvas fortes. Nós trabalhamos, inclusive, com a previsão de tempo antecipada para poder ter um plano de contingência e nós temos um plano de contingência, se houver algum imprevisto", disse o ministro.

Vestibular ou Enem: veja como será a seleção nas universidades do País
Simulado: teste seus conhecimentos e veja se está preparado para o Enem

"Fornecimento de energia elétrica é um dos temas que estamos bastante atentos. Como é um feriado prolongado, nós vamos ter uma queda de consumo. Isso também ajuda, tanto no trânsito quanto na questão da oferta de energia. Até a escolha da data, foi feita também para ter mais tranquilidade."

As provas já foram impressas e distribuídas para pontos estratégicos em cada unidade da federação, um trabalho que conta com o acompanhamento de agentes da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e do Exército. "Eu acho que os alunos têm que estar bastante tranquilos. Estamos totalmente mobilizados para fazer um Enem que dê total segurança aos estudantes", afirmou Mercadante.

As últimas três edições do exame foram marcadas por uma série de problemas: em 2009, houve o vazamento da prova, revelado pelo Estadão; em 2010, trocou-se o cabeçalho de um dos cartões-resposta e provas do caderno amarelo tiveram falhas de encadernação; no ano passado, foi a vez de estudantes de um colégio de Fortaleza terem acesso antecipado a algumas questões, devido ao vazamento do pré-teste.

Enem
O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi criado em 1998 pelo governo federal com o objetivo de avaliar o desempenho do estudante ao fim da educação básica. A partir de 2009, o teste passou a ser utilizado também como mecanismo de seleção para ingresso no ensino superior.

Neste ano, as provas serão aplicadas nos dias 3 e 4 de novembro, sábado e domingo, em todo o País, a partir das 13h (pelo horário de Brasília). No primeiro dia, o candidato resolverá as questões de Ciências Humanas e suas Tecnologias e de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, com duração de 4 horas e 30 minutos, contadas a partir da autorização do aplicador para início das provas. No segundo dia, serão realizados os testes de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias, e Redação, com duração de 5 horas e 30 minutos, igualmente contadas a partir da autorização. O participante só poderá levar o caderno de questões ao deixar em definitivo a sala nos últimos 30 minutos. O gabarito tem divulgação prevista para 7 de novembro e os resultados, para 28 de dezembro.

Desde o dia 10 de outubro, os cartões de confirmação da inscrição contendo número de registro, data, hora e local de realização das provas, indicação de atendimento diferenciado e/ou específico, opção de língua estrangeira e solicitação de certificação (quando for o caso) estão sendo remetidos por via postal para o endereço informado pelo participante. As informações também estarão disponíveis no site http://sistemasenem2.inep.gov.br/ . É obrigatória a apresentação de documento de identificação original com foto para a realização das provas.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pelo exame, recomenda que todos os candidatos compareçam ao local de realização das provas até as 12h (de Brasília). Participantes guardadores de sábado serão acomodados em salas e aguardarão até as 19h para iniciarem as provas no primeiro dia.

Ranking:
Veja onde estão as 50 melhores e as 50 piores escolas do Enem 2010
As falhas do Enem:
Em 2011, de novo, exame não passou no teste. Confira o que deu errado

Agência Estado

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade