Justiça de SP nega ter interferido na nota de redação do Enem

6 jan 2012
13h55

A Justiça Federal de São Paulo informou nesta sexta-feira que não tem conhecimento de decisão determinando a revisão da nota de um estudante do Estado. Segundo o órgão, a mudança da nota do candidato, que passou de zero para 880 pontos, foi alterada por iniciativa do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão vinculado ao Ministério da Educação (MEC) e responsável pelo exame.

Veja as 50 melhores e piores escolas no Enem 2010
Veja polêmicas do Enem em 2011

A Justiça informou que o Inep foi obrigado, a partir de decisão tomada no dia 28 de dezembro, a apresentar uma cópia autenticada da redação do estudante que teve sua prova considerada anulada pelos corretores. No entanto, dois dias depois o Inep apresentou um pedido de reconsideração da decisão, argumentando que situação do candidato já havia sido solucionada.

No documento entregue pela procuradoria do Inep à Justiça, o órgão destaca a "ocorrência de erro material quando da correção das provas de alguns alunos participantes do Enem, dentre as quais a redação do próprio impetrante, que teve sua prova devidamente corrigida e a nota consequentemente alterada".

Procurado para esclarecer os problemas constatados na correção de redações, a assessoria do MEC informou que "por erros materiais entenda apenas um erro de sistema, que até onde sabemos atingiu apenas um participante do Enem 2011". Segundo o MEC, o fato já foi resolvido com a correção da nota da prova do candidato.

Segundo a Justiça Federal, o recurso do Inep para que o candiato não tenha acesso à correção só será analisado após o recesso forense, que se encerra na segunda-feira, dia 9.

Momentos de desconcentração foram registrados após o término do Enem em São Paulo
Momentos de desconcentração foram registrados após o término do Enem em São Paulo
Foto: Aloisio Mauricio / Terra
Fonte: Terra
publicidade