Inep deve gastar R$ 1,5 mi com segurança das provas do Enem

18 out 2010
09h17
atualizado às 15h12

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) deve gastar R$ 1,5 milhão para garantir a segurança das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2010, de acordo com portaria publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira. O valor será transferido para o Ministério da Defesa.

Na imagem, os irmãos Ricardo e Lucas Furquim  que estudam na escola
Na imagem, os irmãos Ricardo e Lucas Furquim que estudam na escola
Foto: Yala Sena / Especial para Terra

Segundo a nota, o dinheiro será usado para garantir a segurança do armazenamento dos cerca de 10 milhões de cadernos de provas e da distribuição e logística em cidades em que os Correios não consigam atender.

Sobre o Enem
Este ano, 4,6 milhões de inscritos enfrentarão a maratona de questões do Exame Nacional do Ensino Médio nos dias 6 e 7 de novembro. O número de inscritos em 2010 é o maior desde que o exame foi criado em 1998. O recorde anterior tinha sido registrado no ano passado, quando a prova passou a ser utilizada nos processos seletivos das universidades federais. Cerca de 4,1 milhões de estudantes se inscreveram para o exame em 2009, mas a abstenção foi superior a 30%.

O estado com mais candidatos inscritos é São Paulo: 827.818. Em seguida vêm Minas Gerais (538 mil), a Bahia (428 mil), o Rio de Janeiro (314 mil), Rio Grande do Sul (295 mil), Paraná (228,4 mil), Pernambuco (228 mil) e o Ceará (208 mil). O Sudeste e o Nordeste concentram quase 70% dos participantes.

O exame terá 180 questões de múltipla escolha e uma redação. No primeiro dia (sábado, 6 de novembro), as provas serão de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Ciências Humanas e suas Tecnologias, cada uma com 45 questões. No domingo (7), os candidatos serão avaliados em Matemática e suas Tecnologias e Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, cada uma com 45 questões, além da redação.

Cinquenta e nove universidades federais vão utilizar a nota Enem 2010 em seus processos seletivos. O destaque vai para as universidades federais que decidiram adotar o exame como única forma de ingresso. Estão nesta lista as federais de Pelotas (Ufpel) e de Rio Grande (FURG), no Rio Grande do Sul, de São Carlos (UFSCAR) e do ABC (UFABC), em São Paulo, e a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Veja aqui o mapa completo com as instituições que utilizarão o Enem como forma de acesso.

Fonte: Redação Terra

compartilhe

publicidade
publicidade