Enem: prova única ainda divide estudantes de Curitiba

3 nov 2012
13h12
atualizado às 20h00
Roger Pereira
Direto de Curitiba

As duas principais universidades federais do Paraná utilizam de maneira bem diferente a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que está começando nesta tarde em todo o Brasil. Enquanto a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) aboliu seu vestibular e utiliza a nota do Enem como única ferramenta da seleção, a Universidade Federal do Paraná (UFPR) dá um peso de apenas 10% para o Enem em seu vestibular.

Estudantes choram por terem perdido a hora de entrada do Enem em frente a FMU, na Avenida Santo Amaro em São Paulo (SP)
Estudantes choram por terem perdido a hora de entrada do Enem em frente a FMU, na Avenida Santo Amaro em São Paulo (SP)
Foto: Renato S. Cerqueira / Futura Press

Vestibular ou Enem: veja como será a seleção nas universidades do País
Simulado: teste seus conhecimentos e veja se está preparado para o Enem

Entre os 280 mil estudantes que prestam, neste final de semana, o Enem, não há concordância sobre o melhor modelo. "Eu prefiro que seja uma prova única, com o mesmo nível para todos os estudantes do Brasil. E que o desempenho nesta prova seja o critério para a entrada nas universidades públicas. Mas, para isso, o Enem precisa evoluir muito, tanto em organização, pois vem acumulando problemas a cada ano, como na dificuldade da prova", disse Giovana Basso, 15 anos, que está fazendo a prova como "treineira", mas quer cursar medicina na UFPR.

"É bom assim, uma prova só, todo mundo sabe quando é o dia decisivo. Gosto da prova do Enem do jeito que é hoje. Giovana cobra muito mais interpretação do que conhecimento de fórmulas. Ela avalia a capacidade de raciocínio do candidato", disse a amiga dela, Paola Köche, 17 anos, que quer utilizar a nota do Enem para ingressar na Faculdade de Belas Artes do Paraná. As amigas foram as primeiras a chegar ao Colégio Estadual do Paraná, um dos maiores locais de prova em Curitiba, por volta de 10h30. "Nunca tinha vindo aqui e moro longe. É melhor chegar bem cedo que correr o risco de atrasar. Agora já dá para relaxar, e preparar a cabeça para a prova", disse Paola.

Já Alexandro Turilio, 17 anos, que vai utilizar O Enem para completar sua nota na UFPR para o curso de Ciências da Computação, prefere a forma como a UFPR utiliza o exame. "Prefiro que a nota do Enem seja o complemento para um vestibular específico. Assim, a UFPR consegue selecionar melhor, de acordo com os conhecimentos que ela acha interessante em seus alunos", disse.

Nem em um mesmo grupo de amigos há consenso sobre a melhor forma de seleção para a universidade. As amigas Bruna Simões, Larissa Cavalcanti e Beatriz Medeiros, todas com 17 anos, que tentarão uma vaga na UTFPR discordam uma da outra. "Eu prefiro assim. O vestibular da UTFPR é bem mais difícil. Só com o Enem fica mais fácil para eu passar. Além disso, eu vou bem melhor nas humanas que nas exatas, então, o Enem me favorece", disse Bruna, que quer cursar design gráfico.

"Pelo mesmo motivo que ela, eu acho errado. A qualidade dos alunos da UTFPR está caindo. Eles já não têm os mesmo índices que anos atrás e tem muita gente desistindo porque não consegue acompanhar. Além disso, sem um vestibular próprio, tem muita gente de fora do Paraná roubando nossas vagas", contestou Larissa, que busca uma vaga em administração. "Acho que o Enem deveria ser a primeira fase e, depois, a própria UTFPR faria uma segunda fase só com prova específica, como desenho, ou física, ou matemática, dependendo do curso", avaliou Beatriz, que quer cursar arquitetura.

Mãe e filha estudando juntas
Entre os primeiros estudantes a chegar ao Colégio Estadual do Paraná para a prova estavam Josélia Dzireva, 34 anos, e Djully Dzireva, 18 anos, mãe e filha que se prepararam juntas para o exame. "Trabalho em uma creche e, para crescer mais na carreira, preciso de um curso superior. Então, motivada pela minha filha, vou fazer o Enem para tentar uma vaga em um curso de pedagogia", disse Josélia. "Ajudei minha mãe a estudar em casa, depois da aula. Fiz Enem ano passado, não achei difícil, mas achei bem cansativo. Estamos preparadas para isso", disse Djully, que quer, com a nota do Enem, conseguir uma bolsa para estudar direito na Unicuritiba.

Enem
O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi criado em 1998 pelo governo federal com o objetivo de avaliar o desempenho do estudante ao fim da educação básica. A partir de 2009, o teste passou a ser utilizado também como mecanismo de seleção para ingresso no ensino superior.

Neste ano, as provas começaram a ser aplicadas neste sábado em todo o País. Neste primeiro dia, o candidato resolve questões de Ciências Humanas e suas Tecnologias e de Ciências da Natureza e suas Tecnologias. No domingo, serão realizados os testes de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias, e Redação, com duração de 5 horas e 30 minutos, contadas a partir da autorização. O Terra, em parceria com os professores do Sistema COC de Ensino, fará a correção comentada das provas nos dois dias.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pelo exame, recomenda que todos os candidatos compareçam ao local de realização das provas até as 12h (de Brasília). O participante só poderá levar o caderno de questões ao deixar em definitivo a sala nos últimos 30 minutos.

O gabarito do Enem tem divulgação prevista para 7 de novembro e os resultados, para 28 de dezembro.

vc repórter
Fez o Enem 2012? Envie fotos, vídeos ou texto contando como foi, se deu tudo certo ou se ocorreu algum problema.

Ranking:
Veja onde estão as 50 melhores e as 50 piores escolas do Enem 2010
As falhas do Enem:
Em 2011, de novo, exame não passou no teste. Confira o que deu errado

Fonte: Especial para Terra
publicidade