Enem: acertar no chute pode não ajudar o candidato

1 nov 2012
15h55

Dois candidatos, mesmo número de acertos, mas notas finais diferentes. Parece improvável, mas a combinação é possível no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Em vez de considerar apenas a quantidade de questões respondidas corretamente pelo candidato, a metodologia adotada para a correção da prova, conhecida como Teoria da Resposta ao Item (TRI), avalia parâmetros como o grau de dificuldade da questão, a capacidade do item em distinguir o nível de proficiência do aluno e a probabilidade de acerto ao acaso (o famoso chute). Assim, um estudante que acerte 30 das 45 questões pode ter melhor desempenho do que outro com o mesmo número de acertos, mas que tenha chutado mais respostas, por exemplo.

Vestibular ou Enem: veja como será a seleção nas universidades do País
Simulado: teste seus conhecimentos e veja se está preparado para o Enem

O sistema valoriza o quanto o estudante sabe ou não dos conteúdos cobrados na prova, podendo desconsiderar uma questão caso seja detectado um acerto casual. Desenvolvido na década de 50, o método é um dos mais precisos entre as medidas de pontuação, na visão do coordenador de pesquisas do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Tufi Machado Soares. "O modelo vai analisar o padrão de resposta do aluno, pontuando as opções que ele acerta e penalizando o que ele erra", observa Soares.

Segundo informações do Ministério da Educação (MEC), a TRI pressupõe que, em geral, os candidatos tendem a acertar os itens de nível de dificuldade inferior e errar aqueles com nível de dificuldade superior a seu conhecimento. Ou seja, o sistema é capaz de delimitar o quanto o aluno sabe sobre determinada área e, com isso, pré-determinar as questões que, se espera, ele vai acertar. Esse padrão de resposta é levado em conta na hora de calcular seu desempenho nas quatro áreas avaliadas pelo exame - exceto a redação, cujo método para determinar a nota ainda é o antigo.

Caso o aluno acerte uma questão mais difícil e que esteja fora de seu padrão de conhecimento - traçado pela análise dos erros e acertos de toda a prova -, o sistema pode supor que foi ao acaso e desconsiderar a pergunta na hora de calcular a média final. Assim, um aluno que tenha respondido corretamente 25 das 45 questões por conhecimento, por exemplo, provavelmente terá uma média superior à do estudante que acertar a mesma quantidade, porém por chute.

Soares explica que o chute também pode ser desmascarado quando o candidato acerta questões consideradas difíceis, porém erra boa parte das perguntas classificadas como fáceis. O sistema entende que não há um padrão coerente nas respostas e que as chances de esse resultado ter sido obtido por acaso são grandes. A constatação é levada em conta no desempenho, que possivelmente será menor do que o nível alcançado por um aluno que não tenha chutado.

Perguntas são testadas antes da prova
Esse tipo de discriminação é possível porque as perguntas são testadas antes da prova e, se aprovadas pelo Inep, ganham um peso que varia de acordo com o desempenho dos alunos nos pré-testes. Quanto mais alunos acertam uma questão, o sistema supõe que seu grau de dificuldade é baixo e, assim, lhe atribui um peso menor. Os pré-testes são aplicados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) em escolas públicas e particulares escolhidas por sorteio - desde que tenham, pelo menos, duas turmas das séries a serem avaliadas.

A metodologia da TRI, adotada para o Enem em 2009 e cuja unidade básica é o item, também garante que cadernos de provas do mesmo exame, mas com diferentes questões, tenham grau de dificuldade equivalente. Outra possibilidade viável por conta da adoção da TRI é aplicar o teste em datas diferentes - o que já é feito no caso dos candidatos em unidades prisionais - e, ainda assim, comparar os resultados da mesma forma. Isso acontece porque a teoria garante que os exames, ainda que sejam formulados com itens diferentes, tenham o mesmo grau de dificuldade e avaliem o desempenho do aluno segundo os mesmos critérios, em vez de simplesmente contabilizar erros e acertos.

O Enem 2012 acontece nos dias 3 e 4 de novembro. As provas se dividem em Ciências Humanas e Ciências da Natureza (03/11) e Linguagens, Redação e Matemática (04/11). Cada caderno (exceto a redação) possui 45 questões objetivas.

Enem
O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi criado em 1998 pelo governo federal com o objetivo de avaliar o desempenho do estudante ao fim da educação básica. A partir de 2009, o teste passou a ser utilizado também como mecanismo de seleção para ingresso no ensino superior.

Neste ano, as provas serão aplicadas nos dias 3 e 4 de novembro, sábado e domingo, em todo o País, a partir das 13h (pelo horário de Brasília). No primeiro dia, o candidato resolverá as questões de Ciências Humanas e suas Tecnologias e de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, com duração de 4 horas e 30 minutos, contadas a partir da autorização do aplicador para início das provas. No segundo dia, serão realizados os testes de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias, e Redação, com duração de 5 horas e 30 minutos, igualmente contadas a partir da autorização. O participante só poderá levar o caderno de questões ao deixar em definitivo a sala nos últimos 30 minutos. O gabarito tem divulgação prevista para 7 de novembro e os resultados, para 28 de dezembro.

Desde o dia 10 de outubro, os cartões de confirmação da inscrição contendo número de registro, data, hora e local de realização das provas, indicação de atendimento diferenciado e/ou específico, opção de língua estrangeira e solicitação de certificação (quando for o caso) estão sendo remetidos por via postal para o endereço informado pelo participante. As informações também estarão disponíveis no site http://sistemasenem2.inep.gov.br/. É obrigatória a apresentação de documento de identificação original com foto para a realização das provas.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pelo exame, recomenda que todos os candidatos compareçam ao local de realização das provas até as 12h (de Brasília). Participantes guardadores de sábado serão acomodados em salas e aguardarão até as 19h para iniciarem as provas no primeiro dia.

Ranking:
Veja onde estão as 50 melhores e as 50 piores escolas do Enem 2010
As falhas do Enem:
Em 2011, de novo, exame não passou no teste. Confira o que deu errado

Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra
publicidade