publicidade
10 de agosto de 2011 • 08h33 • atualizado às 08h38

De etanol a crise econômica: veja temas que devem cair no Enem

As provas do Enem deste ano serão realizadas nos dias 23 e 24 de outubro, em todo o País
Foto: Getty Images
 

Todos os dias os jornais publicam uma avalanche de informações, dos mais diversos assuntos. Quem vai fazer a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) precisa prestar atenção nessas notícias, que podem virar o tema central de uma ou mais questões. A prova do Enem, diferentemente do vestibular tradicional, é mais focada em assuntos de repercussão nacional. Assim, notícias como os atentados recentes na Noruega e a guerra civil na Líbia têm menos chances de aparecer. O professor de história Elias Feitosa, do cursinho Poli Vestibular de São Paulo, dá dicas de quais os temas da atualidade podem aparecer no exame.

Matriz energética
Um dos temas mais polêmicos do primeiro semestre do ano é a instalação da usina hidrelétrica Belo Monte (terceira maior usina hidrelétrica do mundo), no Estado do Pará. A energia assegurada pela usina terá a capacidade de abastecimento para até 26 milhões de habitantes. "O debate agora é saber se o Brasil vai ter fôlego energético para sustentar o seu crescimento econômico. Questões como energia sustentável, a volta do risco de apagões e a utilização de energia nuclear são assuntos que podem aparecer no Enem", explica o professor.

Fique ligado: O desastre na usina nuclear de Fukushima (Japão), ocorrido em março deste ano, forçou o Brasil, e o mundo todo, a repensar seu projeto de energia nuclear. O acidente aconteceu durante o período em que o país foi afetado por acidentes naturais, que causaram mais de 13 mil mortes.

Etanol
Que o Brasil se tornou referência em produção e tecnologia de pesquisa do etanol todos sabem, a questão agora é entender os possíveis desdobramentos da utilização deste combustível renovável. "A competitividade com os Estados Unidos para a exportação do etanol e a possibilidade de aumento nos preços dos alimentos, devido à destinação de terras para a monocultura da cana-de-açúcar (empregada para produzir o etanol) são ganchos que a prova pode utilizar para formular questões", diz Feitosa.

Fique ligado: Embora muitas pessoas afirmem que a produção do etanol contribui de maneira acintosa para o desmatamento da floresta Amazônica (visando buscar novas áreas para o plantio), é importante destacar que o maior responsável pelo desmatamento é a pecuária.

Influência do Brasil na América Latina
Com a ascensão de governos esquerdistas em boa parte das nações da América do Sul, os países latinos buscam um rompimento com os Estados Unidos e o Brasil tenta assumir o posto de País mais influente do continente. "É importante destacar que o espaço que o Brasil está tentando construir na comunidade internacional não é tão simples assim. É impossível ser líder agradando a todos o tempo inteiro, por isso o surgimento de algumas rusgas, como a que vimos com relação à agenda comercial, entre Brasil-Argentina", destaca o professor.

Fique ligado: Em 2011, o Paraguai, um dos países fundadores do Mercosul, comemora 200 anos de Independência.

Plano Real e crise financeira
Nos últimos três anos, o Real passou por uma grande valorização com relação às principais moedas internacionais, incluindo o dólar. Isso se deve, em parte, ao momento vivido pelo País, que, mesmo não sendo uma potência de primeiro mundo, possui uma forte estabilidade econômica. "O que pode acontecer é a prova utilizar uma notícia da crise financeira para traçar um paralelo com o cenário econômico europeu atual e o do Brasil nos anos 1990, quando a nação vivia momentos turbulentos economicamente", detalha Feitosa.

Fique ligado: Este ano morreu o ex-presidente da república Itamar Franco. Durante o seu mandato foi implementado o plano real, que garantiu uma maior estabilidade da economia brasileira.

A gestão de Dilma Rousseff
Além de ser a primeira mulher a assumir o poder no Brasil-República, Dilma adotou uma postura diferente de seu antecessor com relação política internacional. "O primeiro semestre de 2011 já mostra uma grande diferença entre os governos Lula-Dilma. Dilma não tolera nações que apoiam ditaduras ou cometam crimes contra os direitos humanos, por isso o afastamento Brasil-Irã, após ótimos anos de relações entre os dois países, ocorreu no início do ano", comenta o professor.

Fique ligado: Não é a primeira vez que uma mulher governa a nação. A princesa Isabel, filha de Dom Pedro II, assumiu o poder, no Brasil-Império, em três ocasiões, em uma delas, assinando a Lei Áurea que extinguiu a escravidão no Brasil.

Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra