Em 1999, José Serra defendia "importação" de médicos de Cuba

25 jun 2013
17h36
atualizado às 17h39
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Ponto central de um dos pactos anunciados pela presidente Dilma Rousseff na segunda-feira, a contratação de médicos estrangeiros não é uma proposta nova. Em 1999, José Serra, então ministro, defendia a vinda de cubanos para atender as regiões com maior falta de profissionais da saúde.

O ministro da Saúde do governo Fernando Henrique Cardoso enfrentava dificuldade para preencher as vagas do programa Saúde da Família - no qual equipes vão até casas de famílias com objetivo de tratamento e prevenção. "Para criarmos mais 15 mil equipes, como pretendemos, vamos precisar de mais 15 médicos e isso não é fácil", disse, segundo relato do Jornal de Brasília da época.

No ano seguinte, o Ministério da Saúde redigiu um decreto sobre a atuação do médico estrangeiro no País - o motivo era regulamentar a atuação dos profissionais que vinham do exterior, em especial cubanos que atuavam em cidades do Norte que sofriam com a falta de atendimento.

Conforme relata o jornal Folha de S. Paulo à época, a falta de profissionais da saúde no interior já preocupava o governo. Segundo dados do ministério, em 2000, 850 dos 5.507 municípios brasileiros não tinham nenhum médico. 

Na mesma reportagem da Folha, o então presidente do Conselho Federal de Medicina, Edson de Oliveira Andrade, dizia que o problema era a falta de incentivo para o médico trabalhar no interior. "Nunca houve uma política de interiorização no Brasil", disse ao jornal. Hoje, o argumento do conselho é que falta estrutura para o médico no interior. A entidade propõe um plano de carreira para os médicos.

Revalidação do diploma médico

Conheça a história de médicos brasileiros que se graduaram fora do País, veja como foi a decisão de sair, quais as dificuldades da vida em outra nação e por que é necessário revalidar o diploma para poder trabalhar no Brasil

 

Veja também:

Último debate entre Trump e Biden tem tom mais ameno, mas com troca de acusações; veja destaques
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade