publicidade
23 de setembro de 2009 • 11h08 • atualizado às 16h11

Educacenso: relatório aponta 52 mi de alunos matriculados

 

O Brasil tem 52.099.832 estudantes matriculados na educação básica - creche, pré-escola, ensino fundamental, ensino médio, educação especial, educação de jovens e adultos e educação profissional. O número, preliminar, consta dos resultados do Censo Escolar da Educação Básica de 2009 publicados no Diário Oficial da União desta quarta-feira de 2009.

Segundo informações do MEC, houve redução nas matrículas, ao se comparar as informações preliminares de 2009 com as definitivas de 2008, o que pode indicar o não-preenchimento correto de dados por algumas redes.

Foram coletadas informações de 97,4% das escolas no ano passado e 97,9% das matrículas. Há municípios em que menos de 80% do total de matrículas foi relatado, informou o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do Ministério da Educação responsável pela realização do censo escolar.

O levantamento é realizado todos os anos e serve de base para o planejamento orçamentário de ações públicas. Todas as secretarias estaduais e municipais de Educação e escolas públicas e privadas do país participam com o fornecimento de dados. A  coleta inclui informações sobre os estabelecimentos, as matrículas, funções docentes e o movimento e rendimento escolar.

De acordo com os dados preliminares, há 1.860.872 matrículas em creches. Na pré-escola, 4.809.620 e, na educação fundamental, 17.139.755 nos anos iniciais e 14.351.200 nos anos finais. No total, 8.280.875 estudantes cursam o ensino médio regular. Na educação de jovens e adultos são 4.577.517 matrículas; na profissional, 837.011 e, na especial, 242.982.

A maior parte das matrículas concentra-se na rede pública. São 215.901 estudantes na rede federal, 20.646.917 nas estaduais, 24.148.378 nas municipais e 7.088.636 na particular.Essas informações servem de referência para a formulação de políticas públicas e execução de programas na área, como os de merenda e transporteescolar, de distribuição de livros didáticos, o Dinheiro Direto na Escola e o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Os resultados obtidos no censo sobre os alunos do ensino fundamental e médio, juntamente com outras avaliações do Inep (Saeb e Prova Brasil), são usados também para o cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que serve de referência para as metas do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) do MEC.

Redação Terra