Dinamarca: impedidos de dar aula, professores protestam contra governo

Escolas foram fechadas por falta de acordo durante radical reforma escolar

10 abr 2013
11h27
atualizado às 11h32
  • separator
  • 0
  • comentários

Milhares de professores estão se reunindo em protestos na Dinamarca nesta semana para se manifestar contrários à decisão de fechar escolas no país enquanto educadores e governo não chegam a um acordo sobre a carga horária. Nesta quarta-feira, profissionais de diversas instituições dinamarquesas protestaram em frente à sede da prefeitura de Copenhague para mostrar sua insatisfação com a decisão, que já dura 10 dias.

Na terça-feira, professores dinamarqueses se reuniram em uma linha que se estendeu por 35 quilômetros entre duas cidades. A União dos Professores da Dinamarca informou que 6 mil profissionais se enfileiraram em uma estrada que liga Copenhague a Roskilde para se mostrar contra a decisão dos empregadores de fechar escolas depois que negociações sobre as horas trabalhadas não chegaram a um consenso no dia 1º de abril.

O fechamento das instituições de ensino impediu 52 mil professores de dar aulas, afetando cerca de 875 mil estudantes na maior parte das escolas primárias e secundárias da Dinamarca. Não foram divulgados detalhes das negociações, porém representantes dos educadores afirmaram que foi rejeitado um novo acordo de trabalho como parte de uma radical reforma escolar. Acredita-se que o governo deve intervir para forçar uma solução.

As autoridades municipais querem o direito de determinar quanto tempo os professores devem passar em classe, e rejeitam o limite solicitado pela União dos Professores de 25 horas por semana em sala de aula, com o resto das horas de trabalho sendo usadas para a preparação do conteúdo educacional. Atualmente, os professores dinamarqueses passam cerca de 16 horas por semana em classe.

Com informações da AP.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade