Congresso adia instalação de comissão para analisar programa de médicos

Prevista para hoje, a instalação da comissão será feita apenas no dia 7 de agosto. Entidades médicas são contra as propostas do governo

17 jul 2013
15h43
atualizado às 15h43
  • separator
  • 0
  • comentários

A instalação da comissão especial que analisará a medida provisória que cria o programa Mais Médicos foi adiada para o dia 7 de agosto. De acordo com o senador José Pimentel (PT-CE), o adiamento foi acertado pelos líderes.

A previsão era de que a comissão fosse instalada durante reunião desta quarta-feira entre senadores e deputados. No entanto, Pimentel afirmou que o encontro foi feito apenas para atender a uma questão regimental, que obriga que a comissão reúna-se dez dias após a edição da MP.

Pimentel disse ainda que a relatoria caberá à Câmara dos Deputados e a presidência será exercida por um senador. A MP recebeu 567 propostas de emendas e o prazo para os parlamentares sugerirem alterações no texto já foi encerrado.

Infográfico: Revalidação do diploma médico

Conheça a história de médicos brasileiros que se graduaram fora do País e por que é necessário revalidar o diploma para poder trabalhar no Brasil

 

A finalidade do Programa Mais Médicos, criado pela MP 621, é melhorar o atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS). Entre outros pontos, a MP estabelece novos parâmetros para a formação médica no Brasil, incluindo prática obrigatória de dois anos no SUS para os estudantes de medicina, e prevê a "importação" de médicos estrangeiros para trabalhar em regiões prioritárias, como periferias de grandes cidades e comunidades interioranas.

Entidades médicas criticam o programa, principalmente pelo fato de os médicos estrangeiros não precisarem passar por uma prova de revalidação do diploma expedido no exterior. Elas ainda são contra à ampliação do curso de medicina, e chamam o estágio no SUS de um "serviço social obrigatório".

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade