Com salas interditadas pelos bombeiros, UFPel estuda onde colocar alunos

4 mar 2013
12h27
atualizado às 12h27
  • separator
  • comentários

A Universidade Federal de Pelotas ainda não definiu em que locais acomodará os cerca de 300 estudantes que ficaram sem sala depois da interdição de 12 espaços pelo Corpo de Bombeiros em virtude de rachaduras nas paredes. De acordo com a instituição de ensino, a divulgação ocorrerá até o fim do dia. Na terça, a UFPel deve entregar um laudo técnico estrutural ao órgão fiscalizador.

Corpo de Bombeiros interditou salas da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) em virtude de rachaduras nas paredes. Órgão aguarda laudo técnico da instituição para nova avaliação
Corpo de Bombeiros interditou salas da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) em virtude de rachaduras nas paredes. Órgão aguarda laudo técnico da instituição para nova avaliação
Foto: Divulgação

Segundo a universidade, das 12 salas fechadas (das quais 10 são de aula), três já haviam sido lacradas pela própria instituição para obras de reparos. A assessoria de comunicação da UFPel informou ainda que as obras estavam previstas para ocorrer no período de recesso - o quê, em virtude da greve ocorrida no ano passado, só deve começar no dia 25 de março -, bem como a mudança de andar da biblioteca.

Em nota, a administração central da UFPel diz que as salas interditadas atendem atividades das três unidades sediadas no Campus das Ciências Sociais, ou seja, Faculdade de Educação, Instituto de Ciências Humanas e Instituto de Filosofia, Sociologia e Política. As rachaduras, segundo eles, são de longa data.

Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade