Apesar de maior produção científica, Brasil perde em qualidade

22 abr 2013
09h23
atualizado às 09h25
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A produção científica brasileira está em ascensão, mas a qualidade dos trabalhos não acompanha o ritmo. O cenário foi encontrado em informações tabuladas pelo jornal Folha de S.Paulo a partir da base aberta de dados Scimago (alimentada pela plataforma Scopus, da editora de revistas científicas Elsevier), que reúne números da produção científica de 238 países. A produção científica - medida pela quantidade de trabalhos acadêmicos publicados em periódicos científicos - aumentou, mas o número de vezes que os artigos são citados por outros cientistas - um indicador da qualidade dos trabalhos - diminuiu.

De 2001 para 2011, o Brasil subiu de 17º lugar mundial na quantidade de artigos publicados para 13º; no entanto, a qualidade dos trabalhos científicos despencou. O País passou de 31º lugar mundial para 40º na quantidade de citações - o número de vezes que cada trabalho foi citado por outros cientistas. Isso ocorre porque os trabalhos de periódicos científicos brasileiros têm pouco impacto, e os cientistas brasileiros acabam desmembrando trabalhos complexos em artigos com menos relevância, de acordo com especialistas ouvido pelo jornal.

Veja também:

Asiáticos relatam discriminação na Alemanha em meio à pandemia
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade