Alunos que boicotarem exame do Cremesp terão 'ficha suja'

9 nov 2012
08h39

Alunos do sexto ano de medicina que boicotarem o exame do Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) poderão ficar com a "ficha suja" no conselho. A prova se tornou obrigatória neste ano e acontece no próximo domingo (11) em São Paulo. O exame não exige nota mínima para aprovação, o aluno só precisa estar presente no dia da aplicação do teste e responder a todas as questões. Porém, sem o certificado de participação, o estudante não obtém o registro profissional no conselho do Estado. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Lideranças estudantis da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e da Faculdade de Medicina de Marília (Famema) estão recomendando que os alunos boicotem o exame marcando em todas as questões a alternativa "b". De acordo com o Cremesp, o "ato de rebeldia" ficará arquivado no conselho, na pasta do profissional. O conselheiro e um dos coordenadores do exame Bráulio Luna Filho afirma que adesão ao boicote poderá ter um "impacto negativo" na carreira do futuro médico. "Temos absoluta convicção de que o recém-formado que não consegue acertar 60% da prova não tem condições de sair atendendo as pessoas sem colocar em risco a saúde delas", afirma Renato Azevedo Júnior, presidente do Cremesp.

Fonte: Terra
publicidade