3 eventos ao vivo

Dúvidas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um documento em que explica com detalhes o que, quais os sintomas e como se previnir contra a gripe suína, doença que teria sido identificada pela primeira vez no México. Tire duas dúvidas:

O que é gripe suína?
A gripe suína é uma doença respiratória causada pelo vírus Influenza A (H1N1). Apesar de a Organização Mundial da Saúde (OMS) ter anunciado uma pandemia do vírus, autoridades afirmam que a nova gripe tem baixa letalidade e, assim como a gripe comum, as mortes são geralmente associadas a outras doenças ou a fragilidades da pessoa infectada.

A doença recebeu o nome popular de gripe suína porque testes laboratoriais apontaram, inicialmente, que muitos genes da nova gripe eram semelhantes aos dos vírus que afetavam porcos na América do Norte. Porém, segundo a OMS, a origem do vírus é desconhecida.

A gripe suína começou a circular no México, mas acabou se espalhando para outros países.

Quais os principais sintomas da gripe suína?
Os principais sintomas da gripe suína são: febre alta, dor de cabeça, dor muscular e nas articulações, cansaço, fadiga, tosse e, em alguns casos, diarréia e vômito.

Quais são suas implicações para a saúde humana?
Surtos e infecção esporádica de seres humanos por gripe suína foram reportados ocasionalmente. Em geral, os sintomas clínicos são semelhantes aos da gripe sazonal, mas as formas de apresentação clinicamente reportadas variam amplamente, de infecções assintomáticas a severa pneumonia que pode resultar em morte.

Já que a apresentação clínica típica da infecção por gripe suína em seres humanos se assemelha à gripe sazonal e a outras infecções agudas do aparelho respiratório superior, a maior parte dos casos foram detectados por acaso, por meio de sistemas de vigilância contra a gripe sazonal. Casos amenos ou assintomáticos podem ter escapado a detecção, e portanto não se conhece ao certo a dimensão que essa doença atinge entre os pacientes humanos.

Como as pessoas são infectadas por ela?
A transmissão do vírus Influenza A (H1N1), da gripe suína, ocorre de pessoa para pessoa. Como em uma gripe comum, o vírus é transmitido por meio do espirro, da tosse ou após o contato com a secreção respiratória de uma pessoa infectada.

Qual é a letalidade do vírus?
Análises preliminares do vírus causador da gripe suína, o H1N1, sugerem que se trata de uma linhagem menos agressiva, segundo cientistas. Especialistas acreditam que seria necessária uma nova mutação para que o H1N1 causasse a alta taxa de mortalidade que alguns previam. No entanto, até agora é impossível prever com precisão como a doença vai evoluir e qual a sua taxa de mortalidade. Como muitos casos suspeitos ainda precisam ser confirmados por exames laboratoriais, ainda não se sabe ao certo o número exato de vítimas da gripe suína. Segundo especialistas, serão necessárias semanas ou até meses de análises biológicas até que se possa conhecer o potencial de letalidade do vírus.

Que países já foram afetados pela doença?
A gripe suína não é uma doença de notificação obrigatória sob as normas da Organização Mundial da Saúde Animal (www.oie.int), e portanto sua distribuição internacional não é bem conhecida. A doença é considerada endêmica nos Estados Unidos. Surtos entre porcos também já aconteceram na América do Norte e do Sul, Europa (incluindo Reino Unido, Suécia e Itália), África (Quênia) e em certas porções do leste asiático, entre as quais China e Japão.

Que remédios estão disponíveis para tratamento?
Remédios antivirais para gripe sazonal estão disponíveis em alguns países, e previnem e tratam a doença de maneira efetiva. Existem duas classes de medicamentos como esses: os adamantanes (amantadine e remantadine) e os inibidores da neuraminidase da gripe (oseltamivir e zanamivir).

É seguro comer carne de porco e derivados?
Sim. Não existem indicações de que a gripe suína seja transmissível a pessoas que consumam carne de porco devidamente manuseada e preparada, ou outros derivados de carne de porco. O vírus da gripe suína é morto pelas temperaturas normais de cozimento, da ordem de 70 graus, que correspondem à orientação normal quanto ao preparo de carnes, de porco ou outras.

O que devo fazer se estou em contato regular com porcos?
Ainda que não existam claras indicações de que os casos humanos atuais de infecção por gripe suína estejam relacionados a eventos de doenças assemelhadas à gripe em porcos, seria aconselhável minimizar o contato com porcos doentes e reportar esses animais às autoridades de saúde relevantes.

A maior parte das pessoas é infectada por meio de contato prolongado e próximo com porcos infectados. Boas práticas higiênicas são essenciais em todos os contatos com animais e especialmente importantes durante o abate e manuseio pós-abate, a fim de impedir exposição a agentes patológicos. Animais doentes ou animais que morreram de doenças não devem ser submetidos a procedimentos de abate. As recomendações das autoridades nacionais de saúde devem ser seguidas.

Não há prova de que a gripe suína seja transmissível a pessoas que comam carne de porco e outros derivados porcinos devidamente manuseados e preparados. O vírus da gripe suína é morto por temperaturas de cozimento da ordem de 70 graus, que correspondem aos métodos normais de cozinhar carnes, de porco e outras.

Como posso me proteger contra infecção por gripe suína devido a contato com pessoas contaminadas?
No passado, as infecções humanas por gripe suína eram em geral amenas, mas se sabe que elas já causaram diversas doenças, como a pneumonia. Para os atuais surtos nos Estados Unidos e México, porém, o quadro clínico se provou diferente. Nenhum dos casos confirmados nos Estados Unidos sofria da forma severa da doença e os pacientes se recuperaram dela sem recorrer a cuidados médicos. No México, alguns pacientes supostamente sofrem da variedade severa da doença.

Para se proteger, siga as práticas preventivas normais contra a gripe:Evite contato próximo com pessoas que pareçam doentes, com febre e tosse. Lave as mãos com água e sabão, frequente e cuidadosamente. Pratique hábitos de boa saúde, entre os quais dormir devidamente, comer alimentos nutritivos e se manter ativo fisicamente.

Se houver alguém doente em sua casa:
- Tente manter a pessoa em uma seção separada da casa; caso isso não seja possível, mantenha o paciente a pelo menos um metro de distância dos demais moradores.

- Cubra o nariz e a boca ao prestar assistência ao doente. Máscaras podem ser adquiridas comercialmente ou improvisadas com materiais facilmente disponíveis, desde que sejam jogadas fora ou lavadas devidamente.

- Lave suas mãos com água e sabão, cuidadosamente, depois de cada contato com a pessoa doente.

- Tente melhorar o fluxo de ar na área em que a pessoa doente está acomodada. Use portas e janelas para aproveitar as brisas.

- Mantenha um ambiente limpo, com produtos de limpeza domésticas comuns.

- Caso você viva em um país onde a gripe suína afetou seres humanos, siga as recomendações adicionais das autoridades locais de saúde.

O que devo fazer se acredito estar sofrendo de gripe suína?
Se você não se sente bem e apresenta febre alta, tosse e/ou dor de garganta:- Fique em casa e afastado do trabalho, da escola ou de lugares movimentados, na medida do possível.

- Repouse e consuma muitos fluidos.

- Cubra a boca e o nariz com lenços descartáveis ao tossir ou espirrar, e jogue fora cuidadosamente os lenços de papel usados.

- Lave as mãos com água e sabão cuidadosa e frequentemente, especialmente depois de tossir ou espirrar.

- Informe sua família e amigos sobre a doença, e peça ajuda para tarefas caseiras que requerem contato com terceiros, por exemplo ir às compras.

Caso você precise de cuidados médicos:
- Contacte seu médico ou serviço de saúde antes de ir ao local, e informe-os sobre os sintomas. Explique por que imagina estar com gripe suína (por exemplo, por conta de uma viagem recente a um país no qual haja surto humano de gripe suína). Siga as recomendações de tratamento que receber.

- Se não puder contactar o serviço de saúde com antecedência, comunique sua suspeita de que está sofrendo de gripe suína assim que chegar ao local.

- Mantenha o nariz e a boca cobertos durante o percurso até lá.

Redação Terra

compartilhe

publicidade
publicidade