Ciência

publicidade
09 de abril de 2012 • 09h00 • atualizado às 09h33

Tribo indígena de Rondônia venderá carbono com selo verde, diz jornal

 

Uma tribo amazônica será a primeira nação indígena do mundo a faturar com o carbono da floresta mantida em pé. Após receberem, na semana passada, duas certificações internacionais, os paiter-suruís, de Rondônia, têm permissão para fechar contratos para gerar créditos de carbono pelo desmatamento que evitarem em seu território. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Segundo o líder da tribo que até a década passada entregava suas terras à exploração ilegal de madeira, Almir Narayamoga Suruí, o projeto pode render de R$ 2 milhões a R$ 4 milhões por ano até 2038 por evitar 13,5 mil hectares de desmate. O dinheiro será aplicado em uma espécie de "fundo soberano" para alavancar atividades econômicas sustentáveis, como o turismo e a produção agrícola nas terras já desmatadas.

Terra