1 evento ao vivo

Secretário da ONU espera consenso e diz que Brasil se orgulhará da Rio+20

11 jun 2012
15h53
atualizado às 17h11
Angela Chagas
Direto do Rio de Janeiro

O secretário da Organização das Nações Unidas para a Rio+20, Sha Zukamg, afirmou nesta segunda, no Rio, que o Brasil vai entrar para a história global mais uma vez como marco da luta pelo desenvolvimento sustentável. Ao lembrar a Eco92, conferência que ocorreu na cidade há duas décadas, ele disse que espera consciência dos líderes em tornos dos temas-chave do evento.

Paes e Sha Zukamg vão se reunir diariamente para avaliar a organização do evento
Paes e Sha Zukamg vão se reunir diariamente para avaliar a organização do evento
Foto: J. P. Engelbrecht / Divulgação

"A população do Rio e de todo o Brasil tem motivos para se sentir orgulhosa dessa conferência. Em 1992, o País já mostrou para o mundo a importância das discussões sobre o meio ambiente. Mas 20 anos depois, o impacto será maior, pois o compromisso será com ações práticas para garantir a saúde do planeta".

Acompanhado do prefeito Eduardo Paes, o secretário da ONU destacou a organização da conferência que, segundo ele, superou as expectativas. Sha Zukamg elogiou a decisão de decretar feriado nos três principais dias do evento - 20, 21 e 22 de junho. E destacou o sistema de transporte público do Rio.

No entanto, o secretário da ONU reiterou o pedido do prefeito, que mais cedo pediu que a população tenha paciência com transtornos no trânsito. A partir de amanhã, Paes e Sha Zukamg vão se reunir diariamente para avaliar a organização do evento e o que precisa ser melhorado.

Zukamg ainda minimizou a falta de acordo em torno do Rascunho Zero - que vai servir de base nas decisões da conferência. "Espero que o documento esteja fechado até a reunião dos chefes de Estado, mas se isso não ocorrer, não é motivo para preocupação. As decisões históricas sempre são tomadas no último minuto", disse.

De acordo com o representante da ONU, as ausências do primeiro-ministro britânico David Cameron, do presidente americano Barack Obama e da chanceler alemã Angela Merkel não deixarão a Rio+20 enfraquecida. "Eles estarão muito bem representados", afirmou ao destacar que mais de 50 mil pessoas deverão acompanhar a conferência no Rio de Janeiro.

Rio+20
A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável ocorre na cidade do Rio de Janeiro entre os dias 13 a 22 de junho e deverá contribuir para a definição da agenda de discussões e ações sobre o meio ambiente nas próximas décadas, com foco principal na economia verde e na erradicação da pobreza.

Assim chamada por marcar os 20 anos da realização da Eco92, a Rio+20 é composta por três momentos. De 13 a 15 de junho, representantes governamentais discutirão os documentos que posteriormente serão convencionados na Conferência. Entre 16 e 19, serão programados eventos com a sociedade civil. Já de 20 a 22 ocorrerá o Segmento de Alto Nível da Conferência, para o qual é esperada a presença de diversos chefes de Estado e de governo dos países-membros das Nações Unidas.

Apesar dos esforços do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, vários líderes mundiais estarão ausentes, incluindo o presidente americano Barack Obama. Do lado europeu, ficam de fora a chanceler alemã Angela Merkel e o primeiro ministro britânico David Cameron. Para garantir a presença de países africanos e caribenhos, o Itamaraty, o Ministério da Defesa e a Embraer trarão as delegações de 10 deles.

Fonte: Terra
publicidade