0

Rio de Janeiro pode ter cartilha para explicar a Rio+20

28 mai 2012
12h02
atualizado às 12h38
Marcus Vinicius Pinto
Direto do Rio de Janeiro

Para que o carioca saiba exatamente o que acontecerá na Rio+20, a vereadora Tânia Bastos fez um projeto de lei que obriga o executivo municipal a criar uma espécie de cartilha para ser distribuída entre os alunos da rede municipal e entre todos os funcionários do município do Rio explicando quais foram as discussões e acordos do evento. "Vamos ficar três dias sem trabalhar, estudantes sem aula, comerciantes sem ganhar dinheiro e nada mais justo que sermos informados pela prefeitura dos motivos. Por isso fiz o projeto, que acho que será aprovado pela câmara e aceito pelo prefeito", disse a vereadora.

Tânia Bastos não faz ideia dos custos que o projeto pode ter, mas acha fundamental que a cartilha seja em linguagem simples e direta para que principalmente os alunos comecem a entender que o futuro precisa ser visto de outra forma. "Acho que as crianças devem ser informadas primeiro, porque elas são mais questionadoras" disse, lembrando a canadense Severn Suzuki, que na Rio 92, com apenas 12 anos, discursou na presença dos chefes de estado na conferência realizada naquele ano para o meio-ambiente. "Agora os temas são mais amplos, temos que falar de economia, meio ambiente e uma sociedade sustentável", afirmou.

Mesmo sendo política, Tânia Bastos não foi convidada para a Rio+20. Ela teve que entrar num processo de seleção da ONU para conseguir sua credencial para o evento. "Se nem eu, como vereadora, tenho facilidade para ir ao evento, imagine a população? Por isso acho que é obrigação do executivo municipal informar o que é a Rio+20", disse. Ela espera que as secretarias de educação e meio-ambiente do município adotem seu projeto de lei.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade