0

Organizações criticam posição de prefeitura e hotéis do Rio

14 mai 2012
10h46
atualizado às 10h48

A Cúpula dos Povos, encontro que será realizado paralelamente à Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que está sendo organizada por organizações sociais deve receber cerca de 18 mil participantes. O encontro está marcado para 15 a 23 de junho, no Rio.


Segundo o integrante da secretaria operativa da Cúpula dos Povos, Carlos Henrique Painel, os participantes da cúpula já estão com dificuldade para encontrar acomodações na cidade. Ele afirma que a alta nos preços de quartos de hotéis no período da conferência e a falta de apoio da prefeitura do Rio estão provocando a desistências. "Vai haver uma diminuição de pessoas dentro da cúpula. Os custos no Rio se tornaram proibitivos para muita gente que gostaria de estar aqui", afirma Painel.


Empresários do setor hoteleiro oferecem ao governo a redução de 20% nos valores das diárias, mas Painel diz que a medida é insuficiente. Ele afirma que diárias que normalmente custariam R$ 180 estão chegando a R$ 700. "Eles não entenderam o que é este evento, a importância de poder trazer pessoas para a cidade. Acho que eles poderiam ser inclusivos nesse processo, sem praticar preços exorbitantes", critica.


A organização da Cúpula rejeitou a proposta de utilização do Parque da Quinta da Boa Vista como local de acampamento para os representantes de movimentos sociais. A justificativa é que o parque seria muito longe do Parque do Flamengo, onde ocorrerão as discussões. Agora, os organizadores estão trabalhando com espaços alternativos oferecidos pela prefeitura, como o Sambódromo e alguns colégios públicos.


Fonte: DiárioNet DiárioNet
publicidade