0

Largada para Rio+20 terá evento interativo na Quinta da Boa Vista

19 abr 2012
15h15
atualizado às 15h25
Giuliander Carpes
Direto do Rio de Janeiro

A sociedade civil terá uma oportunidade de participar de forma ativa da Rio+20, conferência climática que ocorre entre 13 e 22 de junho no Rio de Janeiro. Começa no dia 31 de maio o maior evento de aquecimento da reunião que vai debater questões climáticas e de desenvolvimento sustentável. A Green Nation Fest será um festival interativo aberto ao público na Quinta da Boa Vista, um parque em São Cristóvão, Zona Norte do Rio.

Imagem mostra um dos rios descobertos pelos pesquisadores
Imagem mostra um dos rios descobertos pelos pesquisadores
Foto: EFE

O desafio do evento - que tem entrada gratuita e fica aberto até o dia 7 de junho - é fazer com que as pessoas saiam da experiência com um mínimo de compromisso para realizar práticas sustentáveis. "Falaremos sobre meio ambiente de uma forma que chame a atenção de todos. Por isso, o evento tratará do assunto de maneira agradável, interativa e com entretenimento", diz Marcos Didonet, diretor do Centro de Cultura, Informação e Meio Ambiente (Cima), organizador do evento, que vai receber um investimento de cerca de R$ 4 milhões.

O Green Nation Fest tratará dos temas relativos ao meio-ambiente usando cinema, educação, esporte e moda. São três grande atrações: a Feira Interativa e Sensorial, a Mostra Internacional de Cinema - com 12 longas-metragens - e Seminários Internacionais sobre economia verde e criativa, abertos para debates. A organização espera uma média de 4 mil visitantes por dia. "Temos que encarar esse festival como uma oportunidade única para a cidade, tem que tirar o máximo possível de todos os grandes eventos. A intenção é deixar um legado para a cidade", afirmou o prefeito Eduardo Paes, no lançamento do evento, na manhã desta quinta-feira.

O prefeito não perdeu a oportunidade de aquecer um pouco mais sua campanha de reeleição ao falar de projetos que tem implantado. "Estamos acabando com os graves problemas da cidade, o lixão de Gramacho, por exemplo, será desativado. Vamos investir R$ 20 milhões para criar um fundo de renda para as famílias que vivem do lixo", declarou. No entanto, o Rio ainda é uma das capitais do país que mais produz lixo. Com cerca de 6,5 milhões de habitantes, recolhe 11 mil t por dia - São Paulo, com 11,5 milhões de habitantes, produz 18 mil t. O Rio também só recicla 1% do que recolhe, bem abaixo da média nacional de 5%.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade