2 eventos ao vivo

Governo vai ampliar apoio a áreas afetadas pelas chuvas

9 jan 2012
16h40
  • separator

A presidente Dilma Rousseff determina durante reunião, em Brasília, com ministrosl, o reforço das ações dos centros de monitoramento nos Estados a partir da criação da Força Nacional de Apoio Técnico de Emergência.


O objetivo é articular de forma mais eficiente as ações do governo federal de prevenção e enfrentamento de desastres naturais. Entre as medidas está o envio de equipe com 35 geólogos e 15 hidrólogos a Minas, Rio e Espírito Santo, Estados que enfrentam mais dificuldades com as chuvas que caem na Região Sudeste.


Durante a reunião da presidente da República, Dilma Rousseff, com os ministros Gleisi Hoffmann (Casa Civil), Fernando Bezerra Coelho (Integração Nacional), Aloizio Mercadante (Ciência, Tecnologia e Inovação), Paulo Passos (Transportes), Alexandre Padilha (Saúde) e Enzo Peri (interino da Defesa), o governo avaliou que as próximas 48 serão de grande risco para esses Estados.


"Nossa previsão é que, a partir de quarta ou quinta-feira, o tempo deve melhorar, mas os centros de monitoramento de operação permanecerão funcionando até o fim de março", diz o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra.


"Serão 48 horas de mobilização muito intensa da Defesa Civil. Hoje há um alerta de risco alto para as cidades mineiras Belo Horizonte, Ouro Preto e Juiz de Fora. Foram 164 deslizamentos só em Ouro Preto. As cidades da Grande Vitória (ES) e os municípios da serra do Rio de Janeiro estão em alerta", informa o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloízio Mercadante. Segundo ele, o governo já contabiliza 2,5 milhões de pessoas afetadas pelas chuvas.


"A presidenta Dilma está priorizando os investimentos em prevenção. Só que essa mudança de gasto com reconstrução vai demandar tempo. Não é uma agenda apenas para um governo, é uma agenda para uma geração. A população cresceu, foi morar de forma irregular em áreas de risco e não havia investimento público em moradia", diz Bezerra.


Os ministros Fernando Bezerra e Aloízio Mercadante manifestaram pesar e solidariedade às vítimas do deslizamento ocorrido nesta madrugada na cidade de Sapucaia, centro-sul fluminense. Oito casas foram atingidas na localidade e a possibilidade é de que haja entre 15 e 20 pessoas soterradas.


Veja também:

Investidores internacionais pedem resultados contra desmatamento
Fonte: DiárioNet DiárioNet
publicidade