Ciência

publicidade
17 de março de 2011 • 08h30 • atualizado às 08h31

Projeto-piloto da ONU tenta salvar peixe-boi de extinção

 

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) lançou um projeto-piloto para a preservação do peixe-boi marinho. Os animais estão sob risco de extinção nos próximos 40 anos por causa da caça direta e da pesca feita por engano.

A iniciativa lançada na segunda-feira na República de Palau (Oeste da Oceania) é uma das várias medidas tomadas pela Convenção sobre Conservação de Espécies Migratórias e Animais Silvestres (CMS) junto a organizações do Pacífico Sul.

O peixe-boi tem um papel ecológico importante no funcionamento dos habitats costeiros. Ele ajuda a proteger outras espécies como tartarugas marinhas, baleias, golfinhos e tubarões.

O projeto, promovido pelo Ano do Peixe-Boi no Pacífico 2011, pretende ensinar mudanças de comportamento em comunidades locais, por meio de programas de empréstimos e pagamentos nos serviços de ecossistemas.

No passado, velejadores imaginavam que o animal era uma sereia. Também conhecido como vaca-marinha ou dugongo, o único mamífero marinho herbívoro vive em águas mornas dos litorais e em ilhas do Leste da África até Vanuatu, no Pacífico.

A maioria das populações de peixe-boi está na costa da Austrália e nos Emirados Árabes Unidos. Dois outros projetos-pilotos estão sendo realizados na Ilha de Bazaruto, no Sul de Moçambique, e na Papua Nova Guiné.

EcoDesenvolvimento