0

Presença de hominídeos há 1,3 milhão de anos na Espanha é confirmada

25 jul 2014
12h29

Uma lasca achada na campanha de escavações em Atapuerca (norte da Espanha), confirma a presença de hominídeos de 1,3 milhão de anos neste sítio arqueológico, que são Patrimônio da Humanidade.

José María Bermúdez de Castro, um dos codiretores em Atapuerca, explicou nesta sexta-feira que a lasca foi encontrada na jazida conhecida como Sima del Elefante, onde no ano passado também foram achadas outras ferramentas de pedra de 1,2 milhão de anos.

As escavações de Atapuerca ficam na província de Burgos, situada a cerca de 300 quilômetros ao norte de Madri.

Castro destacou a importância desta ferramenta de pedra porque os hominídeos não viveram em cavernas até há cerca de 500 mil anos, por isso que qualquer vestígio de sua presença anterior a esse momento é "muito difícil" de encontrar, devido a sua dispersão.

Outro dos codiretores das escavações, Eudald Carbonell, ressaltou a importância de outro achado, em uma jazida da Grande Dolina, que parece ser "o fundo" de sedimentos dessa região.

Faltando confirmação nos laboratórios, que demorará quatro ou cinco anos, a equipe que trabalha em tal jazida estima que esta descoberta poderia rondar 1,7 milhão de anos de antiguidade.

Juan Luis Arsuaga, que também é codiretor das escavações, destacou os achados em Sima de los Huesos, onde já se encontraram mais fósseis humanos que no resto dos sítios arqueológicos do planeta, todos de uma acumulação de cerca de 430 mil anos de idade.

Uma das próximas metas traçadas para 2020 na jazida de Grande Dolina, uma das mais ricas do complexo Atapuerca, é chegar aos níveis mais antigos da região para se aproximar assim da mesma época das jazidas da garganta de Olduvai (Tanzânia), considerada o berço da humanidade.

Outra meta consiste em chegar ao nível TD-6, de cerca de 800 mil anos, onde há 20 anos foi realizada uma pesquisa prévia na qual foram localizados restos de Homo antecessor, considerado até agora o habitante mais antigo da Europa.

Entre os restos achados está parte de uma pélvis de uma criança, um osso difícil de encontrar por ser muito esponjoso; uma vértebra torácica de um jovem; e vários fragmentos de um occipital de um adulto, que podem corresponder com partes bastante completas de um crânio achado há vários anos. EFE

Atapuerca é um sítio arqueológico inaugurado nos anos 70 que revelou, além dos restos do hominídeo mais antigo da Europa - o Homo antecessor, com 1,3 milhão de anos de idade -, uma grande coleção de restos paleoantropológicos da idade da pedra, pertencentes aos primeiros habitantes da Europa.

EFE   

compartilhe

publicidade
publicidade