0

Pesquisa: pessoas se estressam mais em casa que no trabalho

18 jun 2010
14h15
atualizado às 14h18
  • separator

Um estudo da Secretaria de Estado da Saúde em parceria com a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo afirma que as pessoas ficam mais estressadas dentro da própria casa do que no trabalho. Os participantes da pesquisa foram questionados em que locais mais ocorriam situações de estresse (trabalho, casa, clubes, bares, boates) e a própria residência apareceu em primeiro lugar.

A britânica Hayley Okines, 13 anos, sofre de progéria infantil, rara doença que provoca o rápido envelhecimento
A britânica Hayley Okines, 13 anos, sofre de progéria infantil, rara doença que provoca o rápido envelhecimento
Foto: Reprodução

Segundo a secretaria, a pesquisa utilizou dados resultantes do mutirão estadual do coração promovido em 2009 pelas duas entidades. A secretaria afirma que 23,2% dos participantes disseram ter sofrido estresse em casa e 46,8% afirmaram que tiveram algum fator estressante no último ano, como morte de familiar, perda de emprego, separação conjugal ou ruína financeira.

Ainda de acordo com a pesquisa, 15% dos participantes afirmaram ter sofrido estresso dentro do trabalho, 10% "dentro da sociedade" (no trânsito, por exemplo) e 25% por motivos financeiros. Além disso, os números indicam que as mulheres sofrem mais com estresse dentro de casa: 28,34% delas disseram ter estresse intenso ou exagerado nas suas residências - entre os homens o índice é de 13,07%.

A pesquisa afirma ainda que 50,95% dos participantes disseram não ter estresse no trabalho, 9,13% têm estresse moderado, 10,46% intenso e 4,68% exagerado. "O trânsito, por exemplo, e o chefe no trabalho são dois fatores menos estressantes do que os familiares", diz o coordenador do mutirão, Ari Timerman.

Veja também:

Investidores internacionais pedem resultados contra desmatamento
Fonte: Redação Terra
publicidade