PUBLICIDADE

EUA aprovam 1º exame caseiro para detecção do HIV

3 jul 2012 17h41
| atualizado às 21h36
Publicidade

O governo dos Estados Unidos anunciou nesta terça-feira a aprovação do primeiro exame para a detecção do vírus HIV disponível sem a necessidade de receita médica, de modo que as pessoas possam realizá-lo em casa. A Direção de Alimentos e Remédios (FDA, na sigla em inglês), ligada ao governo americano, autorizou a comercialização do OraQuick In-Home HIV Test, que pode proporcionar entre 20 e 40 minutos os resultados da análise de uma amostra de fluído oral obtido das gengivas.

A FDA advertiu ainda que um resultado positivo não significa, definitivamente, que a pessoa esteja infectada com o vírus da aids, enfatizando a necessidade de se confirmar o resultado com um exame realizado por médicos.

A empresa OraSure Technologies, fabricante do equipamento para o exame, destacou que se trata do "primeiro teste rápido de diagnóstico para uma doença infecciosa aprovada pela FDA para sua venda sem receita médica". Imediatamente depois do anúncio, a cotação das ações da OraSure Technologies na bolsa de valores subiram 20%.

Os Centros para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA calculam que aproximadamente 240 mil das mais de 1,2 milhão de pessoas portadoras do HIV nos EUA não sabem que estão infectadas. A taxa de infecção, que cresceu rapidamente nos anos 1980, se manteve estável em 50 mil novos casos por ano durante as últimas duas décadas.

"A aprovação do OraQuick In-Home HIV Test representa um avanço importante na detecção do HIV", declarou o presidente da OraSure, Douglas Michels. "Pela primeira vez, os indivíduos terão acesso a um exame oral que pode ser feita na casa e lhes permitirá conhecer sua condição no conforto de seus lares".

O equipamento para o teste é uma versão para venda sem receita do exame OraQuick Advance Rapid HIV-1/2 Antibody Test, a análise mais vendida no mercado com milhões de unidades adquiridas por hospitais, clínicas, organizações comunitárias e consultórios médicos. A OraSure indicou que espera que seu novo produto esteja disponível para a compra em outubro em mais de 30 mil farmácias e estabelecimentos comerciais em todo o país e pela internet.

EFE   
Publicidade