PUBLICIDADE

Estudo indica que nêutrons viajam entre universos paralelos

19 jun 2012 - 15h08
Compartilhar

Um estranho fenômeno da física pode ser explicado por nêutrons que vão e voltam entre nosso universo e outro paralelo. Experimentos em temperatura extremamente baixa feitos por Anatoly Serebrov no instituto francês Laue-Langevin revelaram que nêutrons desapareciam por curtos períodos. Agora, uma teoria tenta explicar o fenômeno.

Segundo pesquisa da Universidade John Hopkins, nos Estados Unidos, pode ser visto no pescoço de Deus, na cena "Separação da Luz e das Trevas", na capela Sistina, uma estrutura do cérebro
Segundo pesquisa da Universidade John Hopkins, nos Estados Unidos, pode ser visto no pescoço de Deus, na cena "Separação da Luz e das Trevas", na capela Sistina, uma estrutura do cérebro
Foto: Reprodução

Saiba a diferença entre matéria e energia escura aqui

Os físicos teóricos Zurab Berezhiani e Fabrizio Nesti, na Universidade de l'Áquila (Itália) reanalisaram os dados experimentais. Eles mostram na publicação especializada European Physical Journal C que o desaparecimento parece depender da direção e da força do campo magnético aplicado.

Os pesquisadores criaram a hipótese de que os nêutrons oscilam entre os dois universos com seus "nêutrons espelho". Cada uma dessas partículas teria a capacidade de transitar da sua "irmã" e de volta.

E os físicos acreditam que outras partículas, como próton e elétron, também teriam suas irmãs espelho - mas apenas as neutras conseguiriam oscilar entre universos. Estas não seriam afetadas pelas forças forte e fraca do nosso universo (responsáveis pela união do átomo), mas teriam suas próprias relações de força forte e fraca.

A hipótese de viagem entre universos paralelos coincidiria com a relação entre o desaparecimento temporário e o campo magnético e também com o que já foi descoberto sobre o fenômeno. Os cientistas afirmam que essa oscilação, contudo, dura apenas alguns segundos.

A hipótese afirma ainda que a Terra é cercada por um campo magnético formado quando o planeta captura partículas espelho que flutuam pela galáxia como matéria escura. Ou seja, a hipótese ainda explicaria que a matéria escura seria resultado da oscilação das partículas espelho vindas de galáxia paralela à nossa.

Os pesquisadores afirmam que, caso seja sustentada por mais estudos, essa hipótese explicaria várias dúvidas da física, como a própria natureza da matéria escura. "Este resultado, se confirmado por futuros experimentos, terá as mais profundas consequências para a física de partículas, astrofísica e cosmologia", dizem os físicos no artigo.

Com informações do TG Daily.

Fonte: Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra