0

Economia em 2020 vai consumir 'duas Terras', alerta estudo

29 mar 2011
08h52

A economia mundial em 2020 consumirá recursos equivalentes aos de dois planetas Terra, segundo alerta o relatório Technology Outlook 2020 (Perspectiva Tecnológica para 2020), desenvolvido pela empresa DNV, especializada em gestão de riscos.

De acordo com a pesquisa, a escassez dos minerais mais raros vai abalar a economia mundial, mas, por outro lado, tal fator acabará estimulando o desenvolvimento de tecnologias renováveis e do setor reciclável. De acordo com o relatório, áreas de grande extensão como a China, Índia, Austrália e o Oriente Médio sofrerão com fortes secas, a fome se expandirá e os níveis dos oceanos continuarão a subir.

Contudo, apesar da projeção catastrófica, o documento também afirma que as indústrias de baixo carbono vão prosperar na próxima década. A União Europeia e a China, por exemplo, usarão fontes renováveis para gerar um quinto da energia que consomem, e cerca de 8% de toda a energia produzida no mundo virá de fontes eólicas.

Um dos problemas estimados pelo estudo diz respeito a transição rumo a tecnologias de baixo carbono, que não seria rápida o suficiente para atingir os grandes cortes nas emissões dos gases-estufa considerados necessários pelos cientistas.

"Nós talvez precisemos que aconteçam alguns eventos perturbadores para garantir que aconteçam as ações necessárias para combater as mudanças climáticas", alertou Elisabeth Harstad, diretora administrativa da divisão de Pesquisa e Inovação da DNV.

Carbono x Renováveis
O objetivo da pesquisa da DNV é indicar as tendências tecnológicas para os próximos dez anos. Segundo o relatório, apesar do crescimento das energias renováveis e novas tecnologias de baixo carbono, fatores como o crescimento da população, a demanda energética e o padrão de vida consumista da população mundial podem fazer a emissão de CO2 subir 20% em relação aos níveis atuais.

Na avaliação dos pesquisadores que desenvolveram o estudo, a indústria fóssil vai continuar a ter um papel central na produção de energia (39% do total serão provenientes do carvão). Além disso, é possível que haja uma rápida expansão na perfuração de novos poços de petróleo e gás, sobretudo em águas profundas.

O pesquisador sênior para Energias Renováveis da DNV, Thomas Mestl, pesquisador sênior de renováveis da DNV, atenua as preocupações com uma boa notícia: em 2020, o desenvolvimento de eficiência energética e de tecnologias renováveis será rápido, e enormes turbinas eólicas offshore (instaladas nos mares) e sistemas solares fotovoltaicos, que terão entre 10 MW e 15 MW, serão implantados.

EcoDesenvolvimento

compartilhe

publicidade
publicidade