0

Cientistas desenvolvem material "mais preto do que o preto"

3 dez 2010
15h07
atualizado às 15h31

Cientistas da Nasa - a agência espacial americana - desenvolveram material "mais preto do que o preto". Segundo a agência, o material consegue absorver 99,5% da luz. O desenvolvimento do material ajudará os pesquisadores a observar objetos no espaço nunca antes vistos, como planetas do tamanho da Terra que orbitam outras estrelas.

Cientistas desenvolveram coloração preta que é 10 vezes mais eficiente para absorção de luz do que a cor preta normal. Na imagem, o material da esquerda tem tinta preta normal e o da direita contém o novo material
Cientistas desenvolveram coloração preta que é 10 vezes mais eficiente para absorção de luz do que a cor preta normal. Na imagem, o material da esquerda tem tinta preta normal e o da direita contém o novo material
Foto: Nasa / Divulgação

O material, baseado em nanotecnologia, está sendo desenvolvido por uma equipe de 10 tecnólogos no Centro Espacial Goddard, da Nasa. É feito de pequenos tubos de carbono puro cerca de 10 mil vezes menor que um fio de cabelo humano. Nanotubos possuem múltiplas utilidades, particularmente em eletrônicos e em materiais avançados graças às suas propriedades elétricas únicas e força extraordinária. Mas, nessa experiência, a Nasa pretende utilizá-la para ajudar a suprimir luzes errantes.

Segundo Laroy Sparr, cientista da equipe, o material é cerca de "10 vezes melhor que tinta preta", que é usada por designers de instrumentos da Nasa para suprimir luz.

A tecnologia funciona por causa de sua grande habilidade de absorção. Os nanotubos são colocados verticalmente, lembrando um tapete enrolado. Esses tubos absorvem cerca de 99,5% da luz que chega a eles. Para o ser humano essa grande absorção não faz diferença, pois a capacidade de nossos olhos nos faz enxergar apenas o preto normal.

Fonte: Redação Terra
publicidade