1 evento ao vivo

Camelos com enormes focinhos viveram no Panamá há 20 mi de anos

Pesquisadores descobem fósseis de camelos com enormes focinhos

15 mar 2012
20h43
atualizado às 21h27

A descoberta de fósseis de duas espécies de camelos no Panamá, com focinhos alongados, demonstra que esses animais viveram na América Central há 20 milhões de anos, e os cientistas buscam agora determinar se seriam eles antecessores da alpaca e da lhama da América do Sul. "Nunca antes haviam sido encontrados na América Central camelos dessa antiguidade", disse nesta quinta-feira Bruce MacFadden, curador de Paleontologia de Vertebrados do Museu de História Natural da Flórida, nos Estados Unidos.

A descoberta arroja nova luz na história dos trópicos, uma região que contém mais da metade da biodiversidade do mundo e alguns dos mais importantes ecossistemas. Aldo Rincón, geólogo que dirigiu o relatório elaborado sobre esta descoberta, ressaltou que os fósseis representam o primeiro reporte destes "pequenos e estranhos" camelos na região.

"Por sua vez, confirmam uma conexão terrestre entre a parte sul da América Central, México, Texas e Flórida no Mioceno" (há 20 milhões de anos), indicou Rincón.

O cientista encontrou os fósseis na região de escavações das Cascatas durante as pesquisas paleontológicas e geológicas realizadas pelo Instituto de Pesquisa Tropical Smithsonian e pelo Museu de História Natural da Flórida em colaboração com a Autoridade do Canal do Panamá. "Além de agregar uma peça muito importante na evolução desta subfamília, os novos fósseis oferecem a oportunidade de entender a relação entre esses estranhos fósseis e os camelos atuais e as lhamas", destacou.

Os fósseis dos camelos foram encontrados pelos pesquisadores no Panamá
Os fósseis dos camelos foram encontrados pelos pesquisadores no Panamá
Foto: AP
EFE   
publicidade