inclusão de arquivo javascript

 
 

Consumo de transgênicos é seguro, diz OMS

23 de junho de 2005 11h40 atualizado às 11h41

A Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou nesta quinta-feira um estudo dizendo que os alimentos transgênicos atualmente no mercado não apresentam riscos para o consumo.

"A comida (transgênica) que está hoje no mercado foi estudada e é segura para o consumo", diz Jurgen Schlundt, diretor para segurança alimentícia da OMS.

"Mas isso não significa que os alimentos que vão ser postos futuramente no mercado são seguros. Eles vão ter que passar por novos testes".

O estudo levou três anos para ser finalizado e focalizou nos riscos ambientais e de saúde dos alimentos transgênicos.

Mais testes

A entidade pretende realizar novos testes para averiguar o impacto social e de sustentabilidade que os alimentos transgênicos representam.

"Existem muitas áreas onde podemos melhorar as sementes transgênicas para que elas possam crescer em uma região nova, apresentem menos doenças, sejam mais nutritivas, etc", diz Schlundt.

"Isso não foi desenvolvido, no início, principalmente porque a prioridade era o benefício econômico para o fazendeiro ou o produtor".

Para a instituição, os alimentos transgênicos podem ser benignos, desde que submetidos e aprovados em rigorosos testes, nos quais seriam examinados não apenas os eventuais riscos para a saúde, mas o potencial benefício social, econômico e ambiental.

Especialistas acreditam que a aplicação desses critérios pode ajudar a acabar com algumas dúvidas que pairam sobre os alimentos transgênicos.

A OMS argumenta que a população mundial deverá aumentar em dois bilhões de pessoas em 2025, alcançando a casa dos oito bilhões.

"A produção de alimentos com propriedades nutricionais melhoradas pode ajudar a reduzir o impacto das doenças em muitos países em desenvolvimento", diz o relatório da OMS.

com a redação da BBC Brasil

BBC Brasil
BBC Brasil - BBC BRASIL.com - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC BRASIL.com.