inclusão de arquivo javascript

 
 

Quem nasce no outono vive mais

05 de setembro de 2002 20h03

As pessoas que nascem no outono vivem mais do que as que chegam ao mundo na primavera e, além disso, têm um risco menor de desenvolver doenças crônicas à medida que envelhecem, disse hoje uma cientista austríaca. Com base em dados do censo de mais de 1 milhão de pessoas da Áustria, Dinamarca e Austrália, pesquisadores do Instituto de Pesquisa Demográfica Max Planck, em Rostock, Alemanha, verificaram que o mês de nascimento estava associado à expectativa de vida acima de 50 anos.

As diferenças sazonais em relação à alimentação das mães durante a gravidez e as infecções ocorrendo em diferentes épocas do ano poderiam ter um impacto na saúde dos bebês e poderiam influenciar sua expectativa de vida na idade adulta. "Uma mãe que dá à luz na primavera passa a última fase da gravidez no inverno, quando ela ingere menos vitaminas do que no verão", disse Gabriele Doblhammer, que participou da pesquisa.

"Quando ela pára de amamentar e começa a dar alimentos normais ao bebê, isso acontece nas semanas quentes do verão, quando os bebês estão mais propensos a infecções do sistema digestivo." As crianças nascidas no outono pesavam mais do que aquelas nascidas na primavera, conforme a pesquisadora. Na idade adulta, o baixo peso ao nascimento foi associado a uma pressão sanguínea elevada, níveis de colesterol altos, algumas formas de obesidade e uma diminuição na função pulmonar.

Na Áustria, os adultos nascidos no outono (entre outubro e dezembro no Hemisfério Norte) viveram cerca de sete meses mais do que aqueles nascidos na primavera (entre abril e junho). Na Dinamarca, os adultos nascidos no outono viveram quatro meses mais do que os que nasceram na primavera.

No Hemisfério Sul, o quadro foi similar. Os adultos da Austrália nascidos no outono viveram cerca de quatro meses mais do que aqueles que nasceram na estação das flores. O estudo envolveu pessoas nascidas no início do século 20, com a análise de atestados de óbito e dados do censo. A alimentação, durante todas as épocas do ano, melhorou desde então, mas o padrão sazonal persiste, segundo Doblhammer.

Em um outro estudo, Doblhammer analisou o peso ao nascimento de cerca de 3 gêmeos nascidos nos Estados Unidos nas décadas de 1970 e 1980. Ela verificou que aqueles nascidos na primavera e no verão pesavam menos do que os que nasceram em outono.

Reuters
Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.