Marte tem menor distância da Terra em 60 mil anos

19 de agosto de 2003 • 17h34 • atualizado em 25 de agosto de 2003 às 17h29

Na próxima quarta-feira, Marte vai chegar ao ponto mais próximo da Terra em quase 60 mil anos. Isso vai acontecer às 6h51, hora de Brasília, quando o planeta vermelho estará a menos de 55,76 milhões de quilômetros de distância, segundo os astrônomos.

Contudo, não pense que verá Marte do tamanho da Lua. Mesmo tão perto, a olho nu o planeta vermelho não parecerá muito diferente de uma estrela de brilho intenso. De fato, ele parecerá maior e muito mais brilhante do que normalmente, mas, a grosso modo, terá o tamanho aparente de uma cratera lunar. Com um telescópio potente, o planeta tomará, no máximo, o tamanho de uma uva, segundo a Sociedade Brasileira para o Ensino de Astronomia (SBAE).

A última vez que houve tamanha proximidade entre os planetas vizinhos foi em 12 de setembro de 57617 a.C.. Naquela ocasião, Terra e Marte estiveram a 55,72 milhões de quilômetros, ou seja, 40,2 mil quilômetros mais perto do que em 2003. O fenômeno de aproximação só vai se repetir em 28 de agosto de 2287.

O planeta vizinho sempre despertou profundo fascínio nos humanos. Recentemente, sondas da Nasa indicaram que possivelmente já houve água sobre ou perto da superfície marciana - o que dá ainda mais asas à especulação de que algum tipo de vida pode ter existido por lá.

No último dia 4, a Nasa anunciou que vai enviar uma sonda relativamente barata, a Phoenix, para Marte. Ela deve pousar no planeta no final de 2008 e vai analisar o material de uma área onde os cientistas suspeitam que possa haver água a menos de 40 centímetros do solo.

Visualização do fenômeno
A Sociedade Brasileira para o Ensino de Astronomia (SBAE) recomenda que os interessados em visualizar o fenômeno procurem observatórios ou telescópios potentes, já que com binóculos ou telescópios caseiros não será possível ver muito do planeta. Em locais com pouca nebulosidade, será possível ver as calotas polares de Marte através de alguns telescópios. A SBAE recomenda ainda que a visualização seja feita à noite, aproveitando o contraste do brilho do planeta com a escuridão do céu.

Confira alguns locais onde haverá programação especial para o evento nesta quarta-feira:

Rio de Janeiro:

  • Fundação Planetário da Cidade do RJ:
    Av. Padre Leonel Franca, 240 - Gávea - Rio de Janeiro - RJ
    Tel: (21) 2274-0046 ou 2274-0096
    Visualização a partir das 20h30 precedida por palestra.

  • Museu de Astronomia e Ciências Afins:
    Rua General Bruce, 586 - Rio de Janeiro- RJ
    Tel: (21) 2580-7010
    Palestra e, em seguida, observação do céu com lunetas e telescópios de campo.

    São Paulo:

  • Sociedade Brasileira para o Ensino de Astronomia:
    Endereço: Praça Coronel Custódio Fernandes Pinheiro (conhecida como Praça do Pôr-do-Sol) - Alto de Pinheiros - São Paulo - SP
    Tel: (11) 5506-7838 ou 5506-1588
    Montará cinco telescópios na praça a partir das 22h.

  • Planetário - Parque do Ibirapuera:
    Av. Pedro Álvares Cabral, s/ número - Ibirapuera - São Paulo - SP
    Tel: (11) 5575-5206 ou 5575-5425
    Ciclo de palestras e visualizações monitoradas.

    Minas Gerais:

  • Observatório Astronômico Frei Rosário (UFMG):
    Estrada de Caeté - Serra da Piedade - Caeté - MG
    Tel: (31) 3499 5679
    Aulas com recursos multimídia a partir das 19 horas.

    Rio Grande do Sul:

  • Planetário de Porto Alegre (ligado à UFRGS):
    Av. Ipiranga, 2000 - Porto Alegre - RS
    Tel.: (51) 3316-5384
    Curso no dia 30, às 18h, com uma parte teórica e visualização na cúpula e no telescópio (R$ 15,00).

    Santa Catarina:

  • Planetário da Universidade Federal de Santa Catarina:
    Campus Universitário Trindade - Florianópolis - SC
    Tel.: (48) 331-9241
    Disponibilizará telescópios para observação no trapiche da Av. Beira-Mar norte.
  • Redação Terra
     
    Enviar para amigos
    Fechar por:
    Enviar para amigos
    Fechar por:

    Imprimir

    Fechar
    Mais vistos

    Notícias

    1. Carregando...
    leia mais notícias »