Estudo indica que aspirina ajuda a combater surdez

26 de abril de 2006 • 20h44 • atualizado às 20h51

A aspirina, analgésico que pode ajudar na luta contra as doenças cardiovasculares, segundo pesquisa publicada recentemente, também pode combater um tipo de surdez causada por antibióticos, conforme estudo divulgado hoje pela revista New England Journal of Medicine.

A pesquisa, feita por uma equipe da Universidade de Michigan, afirma que o uso excessivo dos aminoglicosídeos, tipo de antibiótico utilizado contra infecções, fibrose cística e tuberculose, foi relacionado a um tipo de surdez irreversível.

Os cientistas americanos, que tiveram a ajuda de pesquisadores chineses, descobriram que muitos casos desse tipo de surdez podem ser prevenidos com o uso da aspirina.

A conclusão foi baseada em estudo realizado em 195 pacientes na China que receberam entre 80 e 160 miligramas de aminoglicosídeo de forma intravenosa, duas vezes ao dia, durante cinco a sete dias.

As 195 pessoas tomaram o antibiótico, sendo que 89 delas também ingeriram aspirina e outras 106 receberam placebo.

Segundo o relatório, os resultados foram impressionantes: a incidência de surdez no grupo que recebeu placebo foi de 13%, já no outro grupo que tomou a aspirina foi de apenas 3%, ou 75% a menos.

"Gostaríamos de informar à comunidade médica no mundo todo que, com algumas precauções, é possível minimizar os riscos de seus pacientes. Há disponibilidade de aspirina em todos os lugares, e é barata", afirmou Jochen Schacht, um dos autores do estudo.

Schacht é professor de biologia no Departamento de Otorrinolaringologia da Escola de Medicina da Universidade de Michigan.

"Antes, tínhamos descoberto que esse tratamento funciona bem em ratos, e agora funciona muito bem em seres humanos" acrescentou.

Além de ser um dos remédios mais baratos receitados contra qualquer tipo de dor, a aspirina é considerada um importante elemento na luta contra as doenças cardiovasculares devido a suas propriedades anticoagulantes.

EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »