Homem mais antigo da Austrália tem 40 mil anos

19 de fevereiro de 2003 • 11h58 • atualizado às 11h58

Os restos mortais do ser humano mais antigo já encontrado na Austrália são 22 mil anos mais jovens do que os cientistas haviam pensado originalmente. A informação foi divulgada hoje por pesquisadores da Universidade de Melbourne. A descoberta deve ajudar a esclarecer sobre quando o continente foi colonizado pelo homem.

Ao invés de terem 62 mil anos de idade, os restos mortais encontrados perto do lago Mungo, no sudeste da Austrália, possuem 40 mil anos, o que muda o rumo das pesquisas sobre como os seres humanos se adaptaram às mudanças climáticas.

"O Homem de Mungo, os restos mortais do ser humano mais antigo da Austrália, possuem 40 mil e não 62 mil anos de idade, como afirmou em 1999 uma equipe da Universidade Nacional Australiana", disse James Bowler, da Universidade de Melbourne.

A idade do esqueleto é importante porque, se os restos mortais são mais jovens do que o estimado anteriormente, encaixam-se melhor na teoria de que os primeiros seres humanos migraram da África para outros pontos do globo. "Esse dado é de importância vital para as comunidades indígenas atuais, os descendentes vivos dos antigos australianos", afirmou Bowler.

Bowler e cientistas de quatro universidades realizaram testes com amostras de areia e de solo para recalcular a idade do Homem de Mungo e de restos mortais de um outro ser humano, conhecido como a Mulher de Mungo, tirada de uma cova próxima.

As descobertas, divulgadas na revista científica Nature, mostram que os povos que viviam perto do lago Mungo enfrentaram um clima cada vez mais seco e o desaparecimento do lago. Mas os cientistas disseram não ter encontrado nenhum indício de que indivíduos tivessem morrido de fome.

"Esses dados apresentam um quadro completamente novo sobre os seres humanos que se adaptaram às mudanças climáticas nesse período crítico da última Era do Gelo, quando o Homo sapiens estava chegando e tomando o lugar dos homens de Neandertal na Europa", acrescentou Bowler.

Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »