Metade dos britânicos não aceita teoria de Darwin

26 de janeiro de 2006 • 17h46 • atualizado às 17h52

Mais da metade da população britânica não aceita a teoria da evolução, segundo uma pesquisa encomendada pelo programa Horizon, da BBC. Além disso, mais de 40% dos entrevistados acreditam que o criacionismo, ou o chamado "projeto inteligente" deveriam ser ensinados nas aulas de ciências das escolas.

A pesquisa foi conduzida pelo Instituto MORI e entrevistou 2000 pessoas. Os pesquisadores perguntaram aos entrevistados o que melhor descrevia sua visão da origem e desenvolvimento da vida, ao que 22% responderam criacionismo, 17% optaram pelo desenho inteligente, 48% escolheram a teoria da evolução, de Charles Darwin, e o resto não soube o que responder.

O projeto inteligente é o conceito de que algumas criaturas têm características tão complexas que sua existência é melhor explicada por um "projeto inteligente" do que pela seleção natural.

Educação em cheque
"Acredito que esta pesquisa represente nossa primeira introdução à visão do público britânico sobre a questão", comentou Andrew Cohen, editor do Horizon, que prepara o programa Guerra contra a Ciência.

"Muitas pessoas esperavam que o público optasse pela teoria da evolução, mas muita gente parece acreditar em uma teoria alternativa para a origem da vida."

Ao responder qual das três teorias preferiam, os entrevistados também respondiam qual delas queriam ver ensinada nas escolas britânicas. Quarenta e quatro por cento optou pelo criacionismo, 41% votou pelo projeto inteligente e 69% defenderam que a teoria darwinista permaneça no curriculo escolar.

Os entrevistados com mais de 55 anos de idade foram os menos propensos a escolher a teoria da evolução em detrimento das outras. "Isso realmente diz algo sobre o papel da educação científica nesse país e nos faz questionar como vamos ensinar a teoria da evolução", acrescentou Cohen.

As conclusões causaram surpresas em meio à comunidade científica. Lorde Martin Rees, presidente da Royal Society, disse que "é surpreendente que muitos ainda sejam céticos em relação à teoria de Darwin. Darwin propôs sua teoria quase 150 anos atrás, e ela agora é embasada por grande quantidade de evidências".

"Nós somos, no entanto, sortudos em comparação com os Estados Unidos, já que nenhum grande segmento de grupos religiosos ou culturais britânicos se opõem a que a teoria da evolução seja incluída no currículo escolar."

Nos Estados Unidos, um tribunal recentemente determinou que o movimento do projeto inteligente é motivado por um desejo de introduzir Deus na sala de aula, depois que os pais de alunos de uma escola da Pensilvânia abriram processo contra a direção, exigindo que a escola não ensinasse a teoria da evolução como um fato.

BBC Brasil - BBC BRASIL.com - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC BRASIL.com.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »