Cientistas criam bateria que gera eletricidade a partir da urina

15 de agosto de 2005 • 20h35 • atualizado às 21h24

Cientistas de Cingapura criaram uma bateria que gera eletricidade a partir da urina e pode ser usada em equipamentos para detectar certas doenças, como o diabetes. A revista Micromechanics and Microengineering divulgou hoje a informação.

Há vários anos, a ciência médica vem tentando criar "biochips" de baixo custo de fabricação para detectar doenças e fornecer resultados instantâneos. Contudo,até agora havia sido impossível resolver a necessidade de uma fonte de energia barata e pequena.

No entanto, Ki BangLee e outros cientistas do Instituto de Bioengenharia e Nanotecnologia de Cingapura anunciaram que desenvolveram uma bateria de papel pequena, fácil de fabricar e que utiliza como fonte de energia a mesma urina que é objeto de sua análise.

Além de revelar a presença do diabetes, o exame da urina determina uma série de doenças e infecções, além das funções renais e hepáticas, e da gravidez.

"O objetivo é desenvolver biochips que sejam descartáveis e do tamanho de um cartão de crédito. A bateria pode ser integrada a estes aparelhos e receberia eletricidade em seu contato com fluidos, como a urina", disse Lee.

O cientista informou que sua bateria gerou uma energia de 1,5 volt com 0,2 mililitro de urina. "Estes sistemas de biochips totalmente integrados têm um enorme potencial no mercado", afirmou o cientista.

Segundo ele, esta bateria acionada com urina mostra um futuro muito próximo em que as pessoas poderão usar esse tipo de instrumento em casa, e marcar consulta com o médico apenas quando for estritamente necessário.

EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »