Bactéria rara causa doença e morte no Ceará

25 de junho de 2005 • 14h20 • atualizado às 15h38

A Secretaria da Saúde do Ceará confirmou o primeiro caso fatal de melioidose no Estado este ano. O boletim epidemiológico de junho confirmou a morte, no mês passado, de um homem vitimado pela doença. A melioidose é causada pela rara bactéria Burkholderia pseudonmallei, que vive no solo e na água.

A vítima era um homem de 30 anos e não se sabe onde ele teria se contaminado com a bactéria. De acordo com a infectologista Dione Bezerra Rolim, citada no Diário do Nordeste, outras duas pessoas - uma mulher de 22 anos e um rapaz de 23 - estão sendo acompanhadas por uma equipe de médicos por suspeita de estarem com a doença.

As contaminações, de acordo com a médica da Secretaria da Saúde, ocorreram no município de Aracoiaba, onde a Vigilância Ambiental está fazendo coleta de amostras do solo e da água para investigação. As análises estão sendo efetuadas.

A melioidose é uma doença infecciosa que apresenta diversos e variados sintomas, como por exemplo febre e dor de cabeça, mas em função dessa variedade, uma manifestação pode ser diferente da outra. Por isso é necessária a confirmação por exame laboratorial, que pode ser de sangue, líquido, escarro ou culturas.

A doença é tratada à base de antibióticos específicos que combatem a bactéria. Nos casos mais graves, a doença pode incluir pneumonia e infecção generalizada, levando à morte. Para prevenir a doença, deve-se utilizar sempre água tratada com cloro, e evitar contato com solo e água e banhos de rios e açudes nas duas ou três semanas seguintes à ocorrência de chuvas.

Redação Terra
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »