Nasa lançará hoje nave em direção a cometa

12 de janeiro de 2005 • 14h19 • atualizado às 14h19

A Nasa tentará hoje, pela primeira vez, lançar nave com o objetivo de atingir um cometa. A Agência Espacial americana espera que a nave Deep Impact faça uma enorme cratera no cometa para tentar desvendar os mistérios do Universo.

A missão para atingir o cometa Tempel 1, que custará entre US$ 325 milhões e US$ 350 milhões, é aguardada com grande expectativa. O lançamento da nave, que levará um veículo-projétil encarregado de destruir o corpo celeste, está previsto para às 16h47 (hora de Brasília), em Cabo Canaveral, na Flórida.

Michael A'Hearn, professor de astronomia da Universidade de Maryland e principal pesquisador encarregado da Deep Impact, explicou que um dos objetivos da missão é averiguar quais eram as condições existentes quando o Sistema Solar foi criado. Isso seria possível a partir da análise das substâncias presentes no interior do cometa, segundo Orlando Figueroa, diretor adjunto de Programas Científicos da Nasa.

A missão faz parte dos projetos de prospecção espacial da Nasa para investigar como são formados e se desenvolvem estes corpos celestes.

A Nasa fez os cálculos de modo que a Deep Impact se choque com o cometa no dia 4 de julho, quando é comemorada a independência dos EUA. Na data, a nave lançará contra o núcleo do cometa o veículo-projétil, de um metro de altura por um de largura e 372 quilos. A idéia é formar uma enorme cratera, da altura de um edifício de dez andares e da largura do Coliseu de Roma.

O veículo-projétil viajará a cerca de 37 mil quilômetros por hora e, embora ninguém saiba com certeza o que ocorrerá, os cientistas prevêem um impacto comparável à explosão de 4,5 toneladas de dinamite. Eles não descartam a possibilidade de o cometa, cujo núcleo tem cerca de seis quilômetros, se desintegrar totalmente.

A destruição espetacular do cometa, que a Nasa assegura não representar nenhum perigo para a Terra, será captada por câmeras especiais e instrumentos montados na nave mãe, que farão medições sobre sua composição.

A Nasa também preparou os telescópios espaciais Chandra, Hubble e Spitzer para observar o processo. As fotografias e demais imagens serão enviadas para a Terra através das antenas do Deep Space Network.

EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »