Remédio contra diabetes aumenta imunidade, afirma pesquisa

03 de junho de 2009 • 18h05 • atualizado às 18h31

Um remédio de uso comum para o controle da diabetes pode estimular o sistema imunológico e potenciar os efeitos das vacinas e tratamentos contra o câncer, publicou nesta quarta-feira a revista Nature.

Uma equipe de pesquisadores das universidades de McGill e Pensilvânia descobriu que a metformina, um antidiabético muito usado, aumenta a eficácia dos linfócitos T do sistema imunológico e, portanto, das vacinas antivirais e anticancerígenas.

Os glóbulos brancos, conhecidos como linfócitos T, "guardam lembrança dos patógenos que encontraram durante infecções ou vacinações prévias", o que permite que lutem com mais rapidez contra infecções posteriores.

Esta "memória imunológica" foi estudada durante anos, mas, até agora, não se conheciam bem os mecanismos celulares envolvidos.

No entanto, os pesquisadores afirmam agora que podem "utilizar os tratamentos diabéticos para manipular a resposta das células T e aumentar a resposta do sistema imunológico perante as infecções e o câncer".

O especialista Russell Jones, da Universidade McGill, explicou que muitos genes que intervêm na regulação da diabetes também têm um papel na progressão do câncer e, além disso, existem dados que indicam que os diabéticos são mais propensos a certos tipos de câncer.

Jones disse que o estudo é o primeiro a sugerir que "centrando-se nas mesmas vias metabólicas que desempenham um papel na diabetes, é possível alterar positivamente a capacidade de resposta do sistema imunológico".

Os pesquisadores descobriram "por acaso" que a maneira como os linfócitos T metabolizam ou queimam os ácidos graxos após um pico de infecção é "essencial para criar a memória imunológica", destacou.

Eles decidiram empregar a metformina, remédio que atua no metabolismo dos ácidos graxos, para reforçar o processo de criação da memória imunológica, e demonstraram experimentalmente em ratos que o medicamento "reforça a memória das células T e a consequente imunidade protetora de uma vacina anticancerígena experimental".

Os resultados sugerem que tratamentos correntes contra a diabetes que atuam no metabolismo celular poderiam aumentar a memória das células T, estimulando o sistema imunológico, o que poderia levar a novas estratégias para vacinas e tratamentos contra o câncer.

EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »