Cientistas investigam por que só humanos sentem vergonha

28 de janeiro de 2009 • 08h38 • atualizado às 09h56

Dois séculos depois do nascimento do naturalista inglês Charles Darwin, os cientistas ainda não têm uma explicação evolutiva para explicar a razão de os humanos sentirem vergonha. Segundo Frans de Waal, professor de comportamento de primatas da Universidade de Emory, na Georgia, nos Estados Unidos, ficar "corado" é algo que ainda não tem explicação na teoria da evolução.

De Waal faz esta análise em artigo publicado no último número da revista científica britânica New Scientist em virtude do aniversário, no próximo 12 de fevereiro, dos 200 anos do nascimento de Darwin, autor de Origem das Espécies.

"Somos os únicos primatas que se envergonham em resposta a situações embaraçosas ou quando nos surpreendem dizendo uma mentira, e ainda não se sabe por que precisamos de um sinal tão óbvio para comunicar estes sentimentos", assinala De Waal.

A revista diz ter consultado especialistas em evolução para identificar as maiores brechas que ainda restam na teoria de Darwin (1809-1882). Mais de um investigador argumentou que ainda não há, inclusive, uma explicação do ponto de vista da evolução sobre a origem da vida mesma, acrescenta a New Scientist.

O professor de biologia Kenneth Miller, da Universidade de Brown, nos Estados Unidos, assinalou: "Sabemos muito sobre do efeito químico do princípio (da criação) da Terra, mas não o suficiente para resolver este problema". Por sua vez, o biólogo Chris Wills, da Universidade da Califórnia, indicou: "A brecha entre uma coleção de moléculas e as células mais primitivas ainda é enorme".

EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »