Caranguejos usam passos para medir distância

01 de janeiro de 2009 • 14h22 • atualizado em 16 de janeiro de 2009 às 17h49

Henry Fountain

Estados Unidos


A maioria dos animais tem a capacidade de voltar para casa após uma viagem à procura de alimento, mesmo se sua casa não estiver à vista.

Eles conseguem fazer isso em parte através da integração de caminho - usando informação sobre direção e distância para retornar a um ponto de partida. (Marinheiros e outros se referem a isso como cálculo de posição.)

Mas a maneira como os animais medem a distância permanece um mistério. Já foi mostrado que a abelha faz medições a partir do fluxo de passagem da paisagem em seu campo de visão. Outros animais conseguem medir a aceleração linear para determinar a distância.

Agora, Michael L. Walls e John E. Layne da Universidade de Cincinnati fornecem evidências diretas de outro método. Em artigo da Current Biology, eles mostram que o caranguejo chama-maré, Uca pugilator, usa seus passos para medir a distância.

Os pesquisadores desenvolveram um experimento no qual colocam uma folha deslizante de acetato no caminho de um caranguejo indo em direção ao seu esconderijo.

Os caranguejos deram o mesmo número de passos que dariam em uma superfície normal, mas como não conseguiram avançar em alguns dos passos, eles acabaram parando antes de chegar ao esconderijo. Como os caranguejos pararam de se mover, Layne disse, isso mostra que eles estavam usando os movimentos das patas como uma pista para medir a distância, ao invés da aceleração ou da passagem da paisagem em seu campo de visão.

Os pesquisadores descobriram que a integração de passos é bastante flexível. Foi constatado que tanto para os caranguejos que deslizavam quanto para aqueles que não encontravam caminhos deslizantes, o número de passos dependia da distância até o esconderijo bem como do comprimento da passada, que poderia variar.

"Nossa teoria é a de que eles não contam os passos," Layne disse. "Eles simplesmente somam as passadas não importando quão grandes ou pequenas elas sejam."

Ele acrescentou que o comportamento dos caranguejos deve envolver sinais neurológicos que chegam ou partem das patas.

Traduções: Amy Traduções
The New York Times
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »