Orquídea brasileira triunfa em festival em Tóquio

03 de março de 2008 • 10h04 • atualizado às 10h14

Uma magnífica planta com 233 orquídeas brancas, criada a partir de sementes do Brasil, foi premiada no Festival Internacional da Orquídea do Japão, que acabou ontem em Tóquio após haver recebido quase meio milhão de visitantes.

As orquídeas cultivadas a partir de sementes brasileiras receberam o prêmio de segundo lugar no festival, onde participantes de vinte países se reuniram para compartilhar seus conhecimentos e fascinação por esta flor especialmente delicada.

Milhares de japoneses lotaram todos os dias o estádio Tokyo Dome para ver, admirar e, claro, fotografar durante uma semana essa flor tão admirada, cuja perfeição é especialmente cortejada neste país.

Cerca de 100 mil orquídeas de todas as cores, tipos e tamanhos, compostas pelas mais diversas formas, invadiram esse estádio gigante da capital japonesa, onde se celebra o Grande Prêmio da Orquídea do Japão desde 1991.

O amarelo, branco, vermelho, rosa, violeta ou laranja das orquídeas contrastava com os galhos ou os vasos brancos que as sustentavam e que variavam do que mais sutil ao mais extravagante.

Uma das organizadoras do festival, Nanako Terabuko, explicou que a orquídea é "a flor mais evoluída assim como o homem o é entre os animais".

"A orquídea é uma planta única, a mais avançada e a que possui maior variedade", disse Terakubo, para quem estas flores são diferentes das rosas, "que sempre são simétricas e do mesmo tipo".

A própria palavra orquídea tem uma conotação afrodisíaca, já que provém da palavra grega "orchis" (testículo), porque para os primeiros botânicos gregos a forma das espécies da região parecia com o órgão reprodutor masculino.

No Japão esta flor representa a beleza e se utiliza no Ikebana, disciplina japonesa que eleva a categoria de arte a decorações floral.

No centro do Tokyo Dome está em exibição a exposição: "Uma mensagem para nossos filhos no futuro", divida segundo os quatro elementos fundamentais: fogo, água, terra e ar.

Tantos são os tipos de orquídeas - no Japão existem cerca de 2.500 variedades e mais de 35 mil no mundo - que para este concurso havia seis categorias: plantas individuais, por aromas, por estilo de composição, desenho, artísticas (inclui fotografia, pinturas e outros) e orquídeas em miniatura.

O primeiro prêmio - que rendeu ao ganhador dois milhões de ienes (US$ 17 mil) e um carro - foi dado ao dono de uma orquídea rosa chamada "Koizumi", com sementes de Madagascar, mas criada no Japão e cuja peculiaridade eram seus quase três metros de altura.

Os japoneses se amontoavam para examinar minuciosamente a flor rosa escuro e fotografar também a segunda premiada, feita a partir de sementes do Brasil, de cor branco e de forma mais arredondada.

Orquídeas de cores quentes, combinadas com música relaxante, embriagaram com seu cheiro os presentes que, entusiasmados, podiam adquirir no final de sua visita as plantas em demonstração.

Mas não é qualquer orquídea que pode participar desse concurso, pois os vinte países participantes foram selecionados por um júri composto por especialistas em orquídeas e desenhistas florais, que as escolheu minuciosamente.

Ainda assim, Terabuko informou que o número de participantes aumenta a cada ano, apesar da complicada seleção pela qual passam para entrar no concurso.

EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »