África do Sul anuncia liberação da caça de elefantes

25 de fevereiro de 2008 • 12h28 • atualizado às 16h28
Filhote de elefante é imobilizado por um dardo no Parque Nacional de Kruger; população chega a quase 20 mil
Filhote de elefante é imobilizado por um dardo no Parque Nacional de Kruger; população chega a quase 20 mil
25 de fevereiro de 2008
EFE

O governo da África do Sul anunciou hoje que vai autorizar a caça aos elefantes com o objetivo de controlar o grande crescimento de sua população. A decisão põe fim a uma moratória imposta em 1995 e que proibiu o abatimento seletivo dos animais por 13 anos, a fim de proteger a espécie, ameaçada de extinção.

» Elefantes têm sessões de massagem
» Zôo: elefantes comem árvores de Natal
» Elefantes têm hospital exclusivo

Segundo o ministro do Meio Ambiente sul-africano, Marthinus van Schalkwyk, o incremento da população dos elefantes verificado na África do Sul "cria incômodos à paisagem, à viabilidade das outras espécies e à segurança dos habitantes".

Contudo, a legislação atualmente em vigor não autoriza automaticamente a caça: é preciso que o governo verifique as possibilidades alternativas, como a mudança do território onde os elefantes vivem ou a contracepção dos animais, de acordo com informaçõse da agência Ansa.

Desse modo, um ecologista deverá ser nomeado para elaborar um plano de ação, juntamente com um especialista em elefantes, que será, então, aprovado ou não pelas autoridades competentes.

A decisão causou reações negativas em milhares de ecologistas que, por anos, vêm lutando contra a extração e contrabando do marfim. Graças à moratória dos elefantes, a população sul-africana da espécie passou dos 8 mil aos atuais 20 mil, aproximadamente - fato considerado vitorioso na luta contra a sua extinção.

Redação Terra
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »