Estudo: sonhos eróticos de homem e mulher diferem

14 de junho de 2007 • 20h45 • atualizado às 21h05

Homens e mulheres têm a mesma quantidade de sonhos eróticos, mas as fantasias sexuais são bem diferentes, segundo um estudo divulgado nesta quinta-feira. Enquanto as mulheres tendem a fantasiar com astros de cinema, do rock, políticos ou amantes passados e presentes, os homens tendem a imaginar relações com várias parceiras, em público ou em locais desconhecidos.

Segundo o autor do estudo, Antonio Zadra, professor-adjunto do Departamento de Psicologia da Universidade de Montreal, no Canadá, as mulheres tiveram a mesma quantidade de sonhos eróticos que os homens. Isso representa uma mudança em relação a um estudo anterior, de 1960, que concluiu que os homens sonhavam muito mais com sexo do que as mulheres.

Segundo o estudo atual, isso pode significar duas coisas: que elas se sentem agora mais livres para falar do tema ou que têm mais sonhos eróticos após a revolução sexual dos anos 60. As mulheres que participaram no estudo registraram o dobro de sonhos envolvendo famosos do que os homens. Nos cenários imaginários das mulheres, foram citados atores como Brad Pitt ou George Clooney, assim como o cantor Bono, do U2.

Já os homens sonham duas vezes mais do que as mulheres com a fantasia de dividir a cama com várias parceiras. Amantes passados e presentes apareceram em 20% dos sonhos femininos e em apenas 14% dos masculinos. Em seus mundos imaginários, os homens quase nunca precisaram colocar os egos em jogo para seduzir as mulheres. Em 90% dos casos sonhados, foram elas quem deram o primeiro passo.

"As mulheres são as que tomam a iniciativa, pelo menos no sonho destes homens", disse Zadra. Este padrão pode refletir boa parte das ilusões, levando em consideração as habituais regras sociais no mundo da sedução e dos encontros, segundo o coordenador do estudo.

Finalmente, na hora de lembrar sonhos eróticos que envolvam frustrações sexuais, os dois gêneros têm histórias muito distintas para contar. As mulheres narraram cenários nos quais a emoção do encontro pareceu desaparecer por algo que aconteceu ou pelo ritmo imposto pelo parceiro. Para os homens, o caso mais habitual teve relação com parceiras que se negaram a participar de certas atividades ou com planos de escapadas sexuais fracassadas por algum motivo.

O estudo teve como base entrevistas com 109 mulheres e 64 homens que registraram seus sonhos durante um período de duas a quatro semanas. Os voluntários acumularam 3,5 mil sonhos, dos quais apenas 8% com teor erótico. Zadra apresentou os resultados de sua análise no Sleep 2007, a conferência anual para cientistas do sonho, pesquisadores e representantes da indústria, em Minneapolis.

AFP - Todos os direitos de reprodução e representação reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »