Pescador fisga peixe pré-histórico na Indonésia

21 de maio de 2007 • 11h29 • atualizado em 26 de maio de 2007 às 20h26
O pescador Yustinus Lahama mostra o celacanto de 51 kg fisgado por ele Foto: Reuters
O pescador Yustinus Lahama mostra o celacanto de 51 kg fisgado por ele
21 de maio de 2007
Foto: Reuters

Um pescador da Indonésia capturou no sábado um celacanto, um peixe pré-histórico que já se acreditou ter desaparecido junto com os dinossauros, afirmou nesta segunda-feira um especialista em peixes.

» Raro peixe-lua é achado na costa filipina
» Raro tubarão-cobra é fotografado

Yustinus Lahama e seu filho pegaram o peixe perto da Província de Sulawesi Norte e o mantiveram em casa por uma hora, afirmou Grevo Gerung, professor da Universidade Sam Ratulangi.

Depois de ter sido informado pelos vizinhos sobre o fato de aquele ser um peixe raro, o pescador levou o animal de volta para o mar e o manteve dentro de uma área de quarentena por cerca de 17 horas. O celacanto acabou morrendo.

"Se mantido longe de seu habitat (a 60 m de profundidade), o peixe consegue viver por apenas duas horas. Mas esse peixe viveu por cerca de 17 horas", disse Gerung. "Vamos tentar descobrir por que ele sobreviveu tanto tempo", afirmou.

O animal tinha apenas 131 cm de comprimento e pesava por volta de 51 kg, disse o professor. Em 1998, pescadores prenderam um outro celacanto em uma rede de águas profundas para pegar tubarões. A rede estava na região costeira, ao norte de Sulawesi.

Aquele animal foi encontrado 60 anos depois de um outro membro dessa espécie ter sido redescoberto, na costa leste da África do Sul. Há registros fósseis dos celacantos datando de 360 milhões de anos atrás, segundo o site do Museu Australiano de Peixes.

Até 1938, acreditava-se que esses animais estavam extintos desde 80 milhões de anos atrás, quando desapareceram dos registros fósseis, disse o museu. Os celacantos são o único animal vivo com um encaixe intercranial totalmente funcional. Esse encaixe é uma divisão que separa o ouvido e o cérebro dos órgãos nasais e dos olhos.

Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »