Mapa prova que portugueses descobriram Austrália

21 de março de 2007 • 10h03 • atualizado às 15h37
Mapa da costa australiana foi feito por portugueses em 1522 Foto: Reuters
Mapa da costa australiana foi feito por portugueses em 1522
21 de março de 2007
Foto: Reuters

Uma carta náutica do século 16 que está em uma biblioteca de Los Angeles prova que os aventureiros portugueses, não os britânicos, nem os holandeses, foram os primeiros europeus a descobrir a Austrália, diz um novo livro que detalha a descoberta secreta do continente australiano.

O livro Beyond Capricorn (Além de Capricórnio) diz que o mapa, que marca locais geográficos de forma acurada em português ao longo da costa leste da Austrália, prova que o navegante português Christopher de Mendonça liderou uma frota de quatro navios até a Baía de Botany em 1522 - quase 250 anos antes da chegada do capitão britânico James Cook.

O autor, o australiano Peter Trickett, disse que, quando viu o pequeno mapa, reconheceu todas as baías e cabos da Baía de Botany em Sydney ¿ o local onde Cook reivindicou a Austrália para a Grã-Bretanha em 1770. "(O mapa) era tão certeiro que eu pude desenhar nele as modernas pistas de aeroporto, nos lugares apropriados, sem nenhum problema", disse Trickett à Reuters na quarta-feira.

Trickett disse que se deparou com uma cópia do mapa enquanto folheava livros em uma livraria de Canberra, há oito anos. Ele disse que a livraria tinha uma reprodução do Atlas Vallard, uma coleção de 15 mapas feitos à mão completados até 1545 na França. Os mapas representavam o mundo como ele era conhecido na época.

Dois dos mapas, chamados Terra Java, tinham uma similaridade notável com a costa leste australiana. "Havia algo familiar neles, mas havia algo errado ¿ era um quebra-cabeça. Como conseguiram ter todos esses lugares com nomes portugueses?", disse Trickett.

Ele pensou que os cartógrafos haviam feito os mapas de Vallard alinhando erradamente dois mapas portugueses dos quais copiavam. É aceito que cartógrafos franceses tenham usado mapas adquiridos ilegalmente de Portugal e de embarcações portuguesas que foram capturadas, disse o autor.

"Os mapas originais teriam sido desenhados em pergaminhos feitos de animais, normalmente pele de carneiro ou cabra, de tamanho limitado. Para uma costa do tamanho do leste da Austrália, de 3,5 mil quilômetros, seriam três a quatro mapas", explicou ele. "O cartógrafo de Vallard juntou esses mapas como um quebra-cabeças. Sem marcações de bússolas claras é possível juntar o mapa sul de duas maneiras diferentes. Minha teoria é que ele foi combinado de maneira errada".

Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »